RDS do Rio Negro recebe oficinas do Programa Bolsa Floresta

27 de março de 2009 - A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro é a mais nova unidade de conservação estadual contemplada pelo Programa Bolsa Floresta

Por Marina Guedes


Coordenadora da FAS, Valcléia Solidade disse que as oficinas serviram para esclarecer
conceitos acerca do Programa Bolsa Floresta aos comunitários de 16 comunidades 

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro é a mais nova unidade de conservação estadual contemplada pelo Programa Bolsa Floresta. Coordenada por Valcléia Solidade, uma equipe de 18 profissionais da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) realizou, nos dias 11 a 20 de março, as oficinas inicias do Programa que abrangem a modalidade Familiar. As ações aconteceram nas comunidades Terra Preta, Tumbiras e Acajatuba.
                           
Situada entre os municípios de Manacapuru, Iranduba e Novo Airão, a RDS do Rio Negro foi criada a partir do desmembramento da APA (Área de Proteção Ambiental) da margem direita do Rio Negro setor Paduari/Solimões. Ao término das oficinas, Valcléia conta que 387 famílias (oriundas de 16 comunidades) foram cadastradas no Programa Bolsa Floresta. Destas, 280 estão aptas a receberem o repasse do benefício mensal, em razão de atenderem aos requisitos do Programa (como documentação em dia, por exemplo).
 

Presente em um dia de oficina o diretor geral da FAS, Virgilio Viana, destacou a importância
da participação dos comunitários, através de associações dentro do Programa Bolsa Floresta
 
Na comunidade Terra Preta, Solidade pontua que 50 famílias participaram das oficinas. No Tumbiras, 79 famílias. Por fim, em Acajatuba, onde há forte potencial para atividades turísticas, 133 famílias estavam presentes. Na avaliação da coordenadora, esclarecer conceitos que ainda estavam confusos aos comunitários foi um dos aspectos mais importantes de todo o trabalho em campo. “Foi preciso muita conversa com os comunitários para corrigirmos informações sobre o Programa”, recorda. E finaliza: “Saímos de lá satisfeitos em saber que fizemos um bom trabalho. Um mérito de toda a equipe”.
 
Quanto à importância da implantação do Programa Bolsa Floresta na RDS do Rio Negro, o diretor técnico-científico da FAS, João Tezza, ressalta a proximidade com a capital amazonense. “Com a construção da nova ponte sobre o Rio Negro, a área da reserva sofrerá uma forte pressão. O compromisso com o não desmatamento, através do Bolsa Floresta, é um importante mecanismo para frear o desmatamento e outros problemas diretamente associados ao crescimento da população”.


Na visão do diretor técnico-científico, João Tezza, o Programa Bolsa Floresta será um forte 
mecanismo para frear o desmatamento que ameaça aquela unidade de conservação

Newsletter