Projeto de REDD do Mosaico do Apuí é iniciado

6 de maio de 2010 - FAS e SDS organizaram 1ª oficina sobre o projeto, na comunidade do Tumbiras, na RDS do Rio Negro (AM)

Fonte: Fundação Amazonas Sustentável/FAS

O processo de construção do Projeto de REDD do Mosaico do Apuí, no sul do estado do Amazonas, iniciou-se nesta terça-feira (4), com a ‘1ª Oficina do Projeto’, realizada na RDS do Rio Negro, na comunidade do Tumbiras.

A Oficina foi organizada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS), e contou com a presença de representantes do Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC), Centro Estadual de Mudanças Climáticas (Ceclima), Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IIEB).

Participantes da oficina, na comunidade do Tumbiras (Crédito: Edgar Duarte) 

O objetivo do evento foi de entender o papel e as atividades de cada instituição atuante no Mosaico do Apuí, apresentar e discutir o Plano de Trabalho do Projeto e a divisão dos papéis e responsabilidades para que o Projeto de REDD possa ser construído de maneira participativa

A equipe da FAS que participou da oficina contou com a presença do superintendente técnico-científico, João Tezza Neto, o gerente de Projetos Especiais, Gabriel Ribenboim, a coordenadora de Projetos Especiais, Thais Megid Pinto, e os analistas de Projetos Especiais, Victor Salviati e Celly dos Santos.

Mariano Cenamo (Idesam) e Natalie Unterstell (Ceclima) durante o evento

 “O projeto de REDD do Mosaico do Apuí será importante para estabelecermos um instrumento a ser capaz de captar recursos destinados ao desenvolvimento sustentável e à conservação das florestas daquela área”, afirmou o superintendente. 

Entre outras atividades, caberá à FAS a coordenação executiva do Projeto de REDD e a elaboração e certificação do Documento de Concepção do Projeto. Segundo Gabriel Ribenboim, coordenador técnico da elaboração do Projeto de REDD da RDS do Juma, “as experiências acumuladas que tivemos durante a fase de desenvolvimento do Projeto Juma serão muito importantes para a elaboração deste novo projeto no Mosaico do Apuí”.

Sobre o Mosaico do Apuí*

O Mosaico do Apuí está localizado nos municípios de Apuí e Novo Aripuanã no Amazonas e forma um conjunto de áreas contíguas que compreende diversas categorias de Unidades de Conservação, resultando em um desenho mais completo para conservar os ecossistemas nas regiões onde é implementado.

O objetivo do Mosaico é proporcionar o fluxo natural de genes e o movimento da biota de porções de ecossistemas naturais ou seminaturais, a partir da ligação entre UC de categorias diferentes, facilitando, assim, a dispersão das espécies e a recolonização das áreas degradadas, bem como, a manutenção de populações que demandam, para sua sobrevivência, áreas com extensão maior do que aquela das unidades individuais.

Com área aproximada de 2.46 milhões de hectares, o Mosaico do Apuí compreende nove Unidades de Conservação, sendo: Quatro Florestas Estaduais: Sucunduri, Aripuanã, do Apuí e Manicoré; Dois Parques Estaduais: do Guariba e do Sucunduri; Duas Reservas de Desenvolvimento Sustentável: Bararati e Aripuanã e a Reserva Extrativista do Guariba. 

*Fonte: http://www.ceuc.sds.am.gov.br/component/content/article/34-conteudo/173-curso-formacao-mosaico-apui.html

Newsletter