FAS constrói vila comunitária na reserva de desenvolvimento sustentável do Cujubim

4 de novembro de 2010 - RDS do Cujubim, localizada na região do Alto Solimões (AM), compreende uma área de 2,5 milhões de hectares, onde habitam 46 famílias

Fonte: Fundação Amazonas Sustentável (FAS)

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS), por meio do Programa Bolsa Floresta, está construindo uma vila comunitária na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Cujubim, na região do Alto Solimões. O objetivo do projeto é contemplar as demandas de saúde, educação e habitação da população residente na RDS, além de estabelecer o vínculo entre geração de renda e conservação da natureza.

O projeto prevê, com recursos da FAS e da prefeitura de Jutaí, a construção de 30 casas populares, escolinha comunitária, casa do professor, área de lazer com campo de futebol, posto de saúde, laboratório de farmácia, gerador de energia, água tratada e encanada.

Cujubim

Casas da vila em construção (Fotos: Ademar Cruz)

“O Cujubim é uma região extremamente remota, com uma das densidades demográficas mais baixas do planeta. A vila comunitária contribui para formar um grupo maior de famílias, facilitando, assim, a implementação de benefícios”, afirma Virgilio Viana, superintendente geral da FAS.

Cujubim

Trabalhador faz medição da obra 

O projeto da vila comunitária está em fase de conclusão, com 60% da estrutura construída. Programada para o final do ano de 2010, as obras só poderão ser entregues em meados de 2011, por conta da seca dos rios no Amazonas, que impossibilitou o transporte de materiais.

Expectativa de crescimento da renda

Em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM), a FAS promoverá cursos de qualificação para a produção de borracha e para o manejo sustentável da pesca para os futuros moradores da vila comunitária. A qualificação será essencial para o aumento da geração de renda das famílias.

Cujubim

Menino da reserva mostra peixe da região

“A região do Cujubim é rica em biodiversidade, e já foi uma das principais produtoras de borracha da Amazônia. Apoiar as comunidades locais significa valorizar o potencial das pessoas e a economia da região”, destaca João Tezza Neto, superintendente técnico-científico da FAS.

Segundo o coordenador da Regional Juruá/Jutaí, Francisco Ademar Cruz, no biênio 2003/2004, a média de renda mensal por família era de R$ 30. Com o Programa Bolsa Floresta, esse número aumentou, estando agora em cerca de R$ 80, e com o projeto da vila comunitária, a perspectiva de crescimento da renda mensal para o ano de 2011 é ainda mais significativa.

Cujubim

Moradores da RDS Cujubim

Outro ponto importante nesse processo é a Cantina Comunitária, que fornecerá gêneros alimentícios num comércio gerenciado pela própria associação comunitária. “Sem as cantinas, os moradores teriam que se deslocar em torno de seis dias até a cidade para vender seus produtos, com a cantina isso vai ser evitado. Esse projeto abre um grande passo para o desenvolvimento dessa região, tão empobrecida economicamente e tão rica de recursos naturais”, diz Ademar.

Newsletter