FAS participa de fórum sobre educação sustentável na Tanzânia

10 de dezembro de 2010 - Evento reúne, neste final de semana, instituições de todo o mundo que promovem projetos de educação financiados através de recursos gerados pelos próprios alunos

Fonte: Fundação Amazonas Sustentável

Com objetivo de discutir projetos e trocar experiências entre escolas de educação autossustentável de todo o mundo, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) participa, durante este final de semana, na Tanzânia – África, da 4ª Conferência Internacional de Educação Sustentável “Education that Pays for Itself” (em tradução livre, Educação que se autofinancia). A conferência é promovida anualmente pela ONG Teach a Man to Fish (em tradução livre, Ensine um Homem a Pescar).

Raquel Luna, na comunidade Boa Frente, na RDS do Juma, onde está localizado um dos Núcleos de Conservação e Sustentabilidade da FAS

A representante da FAS no evento e gestora institucional dos Núcleos de Conservação e Sustentabilidade, Raquel Luna Viggiani, conta que a FAS foi convidada a participar da conferência pela Fundación Paraguaya, uma organização internacional que incentiva este modelo de educação pelo mundo e que custeou sua passagem área para a Tanzânia. “O interesse da Fundación Paraguaya é em função de uma parceria feita conosco (Fundação Amazonas Sustentável) para incentivar a aplicação dessas práticas nas RDS’s (Reservas de Desenvolvimento Sustentável) geridas FAS”, explica Raquel.

Martin Burt, da Fundación Paraguaya, durante visita à sede da FAS, em Manaus

No início do ano passado, o diretor executivo da Fundación Paraguaya, Martin Burt, veio ao Amazonas apresentar o modelo de escola sustentável para a Fundação Amazonas Sustentável. Alguns meses depois, dois técnicos da FAS foram até o Paraguai para fazer um treinamento de um mês dentro das estratégias e diretrizes traçadas por esse modelo de educação.

O que é educação autossustentável?

A educação autossustentável é um conceito relativo ao processo de educação formal aliada ao ensino de uma profissão dentro da escola. A partir da criação de empresas, os alunos geram recursos que são reinvestidos na própria escola.

Na escola J.W. Marriott Jr., ligado ao Núcleo de Conservação e Sustentabilidade da RDS do Juma, esse processo já está em andamento. “A cooperativa de coletores de sementes criadas pelos alunos do (Núcleo de Conservação e Sustentabilidade) Juma é um exemplo de atividade com retorno financeiro voltado para a escola. A parceria com o INPA para criação da Unidade de Produção de Alimentos é outro exemplo desse processo inovador”, afirma Raquel.

Newsletter