FAS discute Pagamento por Serviços Ambientais no estado de São Paulo

8 de abril de 2011 - Programa Bolsa Floresta, desenvolvidos pela FAS, é referência mundial em Pagamento por Serviços Ambientais e beneficia diretamente mais de sete mil famílias

Fonte: FAS

Nos últimos anos, vem aumentando no Brasil o número de projetos baseados no mecanismo de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). A experiência da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) nesta área, com o Programa Bolsa Floresta no Amazonas, foi apresentada no “Seminário sobre Pagamentos por Serviços Ambientais: Iniciativas no Brasil”, em São Paulo (SP), organizado pela Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo (SMA-SP) – por meio do Projeto de Matas Ciliares – e pelo Banco Mundial.

O evento, ocorrido na semana passada, faz parte de uma iniciativa maior de levantamento de casos de sucesso de Pagamento por Serviços Ambientais no Brasil e a subsequente publicação desses casos. Foram selecionados 20 projetos de todo o país, dentre eles o Programa Bolsa Floresta, referência mundial em Pagamento por Serviços Ambientais, desenvolvido pela FAS em 15 unidades de conservação do estado e beneficiando diretamente mais de sete mil famílias.

Virgilio Viana, Superintendente-Geral da FAS, em sua palestra no Workshop sobre Experiências de Pagamentos por Serviços Ambientais, na Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo

A iniciativa do seminário tem como objetivo prever a elaboração de um estudo de casos de Pagamento por Serviços Ambientais no Brasil – de âmbito governamental, privado e não-governamental – o qual servirá de base para o desenvolvimento de uma política pública para o estado de São Paulo.

“Este evento demonstra como o estado de São Paulo considera importante tais discussões em áreas nativas e em áreas a serem recuperadas dentro do estado”, comentou Virgilio Viana, superintendente-geral da FAS e um dos palestrantes do evento.

O evento, ocorrido no auditório da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB), foi aberto ao público e teve mais de 100 participantes, entre representantes do governo, empresas e universidades.

Virgilio Viana, da FAS, Devanir Garcia Santos, da Agência Nacional de Águas, e Helena Carrascosa, da Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo

“O convite para participar deste evento foi muito bem-vindo, pois há diversas iniciativas de PSA no Brasil e no mundo, e esta publicação permitirá entender cada projeto de maneira completa”, afirmou Victor Salviati, coordenador de projetos especiais da FAS.

Com a apresentação de outros nove estudos de caso de PSA, dentre eles Créditos de Conservação, de Santa Catarina, e Corredor Ecológico Monte-Pascoal – Pau-Brasil, na Bahia, este permitiu focar nas mais diversas abordagens de PSA para carbono, água e biodiversidade.

Newsletter