Encontro reúne lideranças de 15 Unidades de Conservação do Amazonas

30 de outubro de 2012 - Promovido pela FAS, IX Encontro de Lideranças reúne 15 comunitários de associações comunitárias do interior do Estado para discutir ações do Programa Bolsa Floresta

 
Comunitários reunidos em novo encontro (Foto: Bruno Kelly)

Entre os dias 29 de outubro a 01 de novembro, 38 líderes de Associações Comunitárias de 15 Unidades de Conservação (UCs) atendidas pelo Programa Bolsa Floresta (PBF) estarão reunidos, em Manaus, por meio de uma iniciativa da Fundação Amazonas Sustentável (FAS). No IX Encontro de Lideranças, comunitários, gestores pUblicos e importantes instituições debatem os avanços de 2012 e desafios do Bolsa Floresta para 2013. O evento é realizado na Inspetoria Laura Vicuña, Av. André AraUjo, 2230, Aleixo.

No dia 29, pela manhã, a Coordenadora do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), Kátia Schweickardt, juntamente com o subcoordenador deste órgão, Francisco Pinto e o coordenador geral do Centro Estadual de Mudanças Climáticas (Ceclima), João Talocchi estiveram presentes abordando avaliação de desempenho dos Gestores das UCs e Indicadores para programas e projetos de REDD+, respectivamente. Segundo eles, o desafio de consolidar uma política sustentável no Amazonas depende diretamente da união de esforços entre instituições e comunitários, estes, detentores da realidade dentro da florestas do Estado.

A tarde, foi a vez do superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Thomáz Perez, falar sobre o Programa para Aquisição de Alimentos (PAA), uma iniciativa da própria Conab para o incremento do cardápio da merenda em escolas pUblicas, por meio do apoio ao produtor rural. Os comunitários esclareceram dUvidas e se interaram sobre as responsabilidades do programa. A FAS vem incentivando diretamente ações de manejo de castanha, cacau, pescado e avicultura nas reservas onde atua.

Programação ampla

Nesta terça-feira, dia 30, durante todo o dia, estão sendo realizadas oficinas e palestras voltadas ao Bolsa Floresta. A capacitação continuada promovida pela FAS, deve englobar temas como gestão participativa e prestação de contas nas Unidades de Conservação. A expectativa é apoiar os comunitários no acompanhamento dos investimentos e desafios trilhados por cada comunidade.

Já no dia 31, pela manhã, uma mesa redonda reunirá os Ministérios PUblicos Estadual (MPE) e Federal (MPF), além do Tribunal de Contas do Estado (TCE), às 10h30. O trabalho das instituições será apresentado aos comunitários, em um debate que contará com a presença do superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana. A intenção é dar clareza aos ribeirinhos sobre o trabalho desempenhado pelas instituições e enaltecer o papel da transparência nos êxitos das atividades planejadas para o futuro.

Para o dia 1°, a Fundação programou mais uma edição do Papo Sustentável. O evento receberá, na Sede da FAS, novamente Kátia Schweickardt, em um debate com o tema ??CEUC: visão de futuro e principais desafios??.

Durante todos os quatro dias de evento será dada a continuidade o processo de capacitação continuada dos comunitários, que oferece oficinas e palestras sobre temas como gestão e prestação de contas.

Olhar ribeirinho

A Coordenadora Geral do PBF, Valcleia Solidade, enaltece o papel do olhar ribeirinho nas atividades do Bolsa Floresta. Segundo ela, o que está em jogo é a melhoria de vida dos comunitários na prática, já que todos passam a trocar experienciais sobre o programa, que investe direta e indiretamente nas 15 UCs.

“? uma oportunidade Unica. Um debate importante para eles, riquíssimos para nós já que conhecemos melhor os anseios da comunidade, eles a importância do trabalho que vem sendo feito”, comenta Valcléia.

Sobre a FAS

A FAS é uma instituição pUblico-privada, sem fins lucrativos, não governamental, com a missão de promover o envolvimento sustentável, a conservação ambiental e a melhoria da qualidade de vida das comunidades moradoras e usuárias das unidades de conservação no Estado do Amazonas. Somente nas 15 reservas atendidas pela FAS, cerca de 35 mil pessoas são beneficiadas direta e indiretamente pelo Bolsa Floresta, administrado pela Fundação, seja na melhoria de qualidade de vida, na geração de renda ou no associativismo ribeirinho.

Newsletter