Em parceria com a FAS e SDS, Imaflora promove curso de FSC® para Unidades de Conservação (UCs)

6 de março de 2014 - Durante dois dias, ação mobilizou instituições parceiras, representantes de associações comunitárias e demais atores do Amazonas

 
Curso sobre certificação reuniu várias instituições na sede da FAS | Foto: Comunicação/FAS

O Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) realizou o treinamento sobre manejo florestal e certificação FSC – Forest Stewardship Council ®, entre os dias 24 e 25 de fevereiro, destinado para Unidades de Conservação (UCs). Em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDSAM), o evento reuniu instituições de meio ambiente e conservação, além de moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma. Cumpridas as etapas propostas para a certificação, a reserva poderá ser a primeira do Brasil certificada nos padrões FSC de manejo florestal não-madereiro (“gestão e conservação”).

O conteUdo foi voltado para a relação do FSC® com as comunidades localizadas em UCs e as respectivas ferramentas de gestão em áreas protegidas. Durante os dois dias de atividade, foram abordados temas como o impacto ambiental na RDS do Juma, a situação do seu plano de gestão, além dos instrumentos de monitoramento, avaliação e certificação para o manejo florestal não-madeireiro. O curso foi ministrado pelo consultor do Imaflora, Cedric Goyet, e da assessora de certificação Ellen Cavalieri.

“O envolvimento comunitário nesse treinamento é muito importante, pois além de garantir boas práticas e certificação no manejo da floresta, o FSC® pode permitir a boa gestão da Unidade de Conservação”, explica Ellen.

O presidente da Associação de Moradores e Amigos da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma (AMARJUMA), Waldecir Marques, participou do evento. Para ele, o curso permiti a integração entre os objetivos da certificação e o objetivo dos comunitários.

“O curso tem grande valia, pois permite avaliarmos os benefícios da certificação para nós, que vivemos na reserva. Queremos levar essa forma de trabalhar para outras pessoas da comunidade, trazendo melhoria de qualidade de vida e conservando a floresta”, explica Waldecir.

Estiveram no evento representantes do Instituto do Desenvolvimento Agrário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPE), além do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), das secretarias de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), e de Produção Rural (Sepror).

Newsletter