Com apoio do Bolsa Floresta Renda, comunidade Santa Helena do Inglês ganha nova pousada

26 de maio de 2014 - Construído por comunitários, empreendimento pretende fortalecer roteiro turístico do baixo rio Negro

 
Comunitários ergueram pousada com apoio do Bolsa Floresta | Foto: Alex Pazuello/AGECOM

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro ganhou um novo atrativo turístico neste domingo (25): a Pousada Vista Rio Negro, construída na comunidade Santa Helena do Inglês, Iranduba-AM (60km de Manaus). O empreendimento foi construído com recursos do componente Renda do Programa Bolsa Floresta (PBF), gerenciado pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e financiado pelo Fundo Amazônia/BNDES, com mão de obra ribeirinha e apoio do Banco Bradesco e da Prefeitura de Iranduba.

A iniciativa conta o apoio do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), e com as entidades participantes do Fórum de Turismo de Base Comunitária do Baixo Rio Negro.

“Este é mais um investimento do Programa Bolsa Floresta Renda, que tem o objetivo de fazer a floresta ter mais valor em pé do que derrubada. Em 2013, a FAS investiu em 645 projetos voltados para geração de renda nas 573 comunidades onde o Programa é implementado. Esperamos que essa pousada seja um marco histórico para o turismo no Rio Negro, em função das parcerias envolvidas no Fórum de Turismo de Base Comunitária”, explica o superintendente geral da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Virgílio Viana.

A pousada é resultado da decisão dos próprios ribeirinhos, por meio do processo participativo de definição de investimentos do Bolsa Floresta, gerenciado pela FAS. O empreendimento conta com oito quartos, com espaço para quatro pessoas cada. As diárias giram em torno de R$ 50, com café da manhã incluso. As reservas podem ser feitas pelo telefone (92) 8169-2258 ou 9279-6548, com os comunitários Nelson ou Lili.

A região do baixo rio Negro oferece uma série de atrativos turísticos harmônicos com a natureza, dentre eles a possibilidade de praticar a pesca, caminhar por trilhas, passear por igapós, além da tradicional focagem de jacarés no rio de água escura. Os comunitários também prepararam um roteiro especial para a Copa do Mundo de 2014, que inclui o envolvimento esportivo por meio das tradicionais partidas de futebol ribeirinhas.

Passaporte Verde

Este ano, comunidades das margens esquerda e direita do Rio Negro foram inclusas em roteiros turísticos da Campanha Passaporte Verde, uma iniciativa da Parceria Global para o Turismo Sustentável, coordenada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Os roteiros tem como objetivo apoiar a qualificação da cadeia produtiva do turismo e a implantação de infraestrutura básica e turística, além de ações de educação ambiental incentivadas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). A ação também incentiva o turista a consumir de forma consciente e reduzir os impactos do turismo no meio ambiente.

O roteiro da margem esquerda conta com as comunidades Colônia Central, São João do Tupé, Julião, Bela Vista, São Sebastião e Nova Esperança, incluindo atrativos como canoagem, banho de rio, pesca cabocla e interação com botos. Já o roteiro da margem direita inclui as comunidades do Tumbira, Santa Helena do Inglês, Saracá, São Tomé, Santo Antônio e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, oferecendo além dessas atividades, focagem de jacarés, trilhas e artesanato rico.

Ambos roteiros são resultados de uma soma de esforços de FAS, Ceuc/SDS, Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto de Pesquisas Ecológicas (IP?), ONG Nymuendaju e do Fórum Permanente de Defesa das Comunidades Ribeirinhas de Manaus (Fopec).

Bolsa Floresta Renda

O Programa Bolsa Floresta (PBF) atua em quatro componentes: Renda, Social, Associação e Familiar, voltados à geração de renda, melhoria de qualidade de vida e fortalecimento comunitário. O componente Renda investe anualmente cerca de R$ 260 mil por unidade de conservação (UC) em atividades econômicas sustentáveis, direcionadas à vocação de cada reserva. Atualmente, são cerca de 39 mil pessoas beneficiadas pela iniciativa, distribuídas em mais de 8 mil famílias.

Newsletter