FAS representa o Amazonas na 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil

23 de maio de 2014 - A premiação reconhece as melhores práticas de gestão e projetos sociais que contribuem para o alcance das Metas do Milênio, da ONU

 
Virgílio Viana recebe prêmio das mãos da presidenta Dilma Rousseff | Foto: Eduardo Taveira/FAS por smartphone

A FAS é a Unica instituição do Amazonas, entre as 30 iniciativas aprovadas, que receberá das mãos da presidenta Dilma Rousseff nesta sexta-feira, dia 23, o Prêmio ODM Brasil. A premiação já está na sua 5ª Edição e reconhece as melhores práticas da gestão municipal e projetos sociais que contribuem para o alcance das Metas do Milênio, a melhoria da qualidade de vida da população e as transformações sociais no país.

Na ocasião, a presidenta fará também o lançamento da Política Nacional de Participação Social e do Compromisso Nacional pela Participação Social, que visam fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de diálogos entre Estado e sociedade civil. Também participam da cerimônia o Representante Residente do PNUD, Jorge Chediek, o jogador da seleção brasileira Hulk, o Secretário-Executivo do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade (MNCS, conhecido também como Movimento Nós Podemos), Rodrigo Rocha Loures, além de parceiros da iniciativa privada que apoiam a premiação.

O ODM Brasil é uma premiação do Governo Federal com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que há 10 anos incentiva ações, programas e projetos que contribuem efetivamente ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

A prática incentivada pelo prêmio é o Programa Bolsa Floresta (PBF). Implementado pela FAS, o Programa realiza o assessoramento as comunidades, aos cidadãos e as famílias atendidas, promovendo o enfrentamento das vulnerabilidades sociais e a conservação do meio ambiente, por meio de ações pautadas no desenvolvimento sustentável; no fortalecimento da participação, autonomia e protagonismo de grupos populares e de usuários; na identificação das potencialidades, mobilização e organização de grupos e lideranças locais; no fomento e apoio a projetos de inclusão cidadã que visam ganhos socioeconômicos; na potencialização do empreendedorismo e capacidade de autogestão, na perspectiva da economia solidária.

Ele atua por meio de quatro componentes: Renda, Social, Familiar e Associação. Esses componentes asseguram ganhos diretos para as famílias, benefício social para a comunidade, apoio ao associativismo, atividades de produção e geração de renda. A adesão ao Programa requer a participação em oficinas, capacitação em mudanças climáticas e serviços ambientais e permanência ou ingresso dos filhos na escola.

O Bolsa trabalha em escala ampliada e objetiva responder às demandas sociais e de conservação ambiental das populações ribeirinhas moradoras das Unidades de Conservação (UCs). A visão estratégica do Programa é construir capacidades em conjunto com as comunidades locais.

Em 2013, o Bolsa Floresta atingiu a marca de 37.884 pessoas de 8.855 famílias, em 15 UCs estaduais do Amazonas, em uma área de 10.951.980 hectares. No intuito de estabelecer uma relação de cumplicidade em torno do desenvolvimento sustentável, os benefícios coletivos repassados anualmente, em média R$ 1.140 por família, são majoritariamente investidos pela FAS na construção de infraestruturas, atividades de capacitação, educação e saUde.

Newsletter