Beneficiários do Bolsa Floresta compartilham experiências no lançamento da Política Ambiental da UFAM

11 de junho de 2014 - Lançada nesta quarta-feira (11), política da universidade envolve atores acadêmicos e sociedade civil

 
Comunitários conversaram com a reitora da UFAM, Márcia Perales | Foto: Comunicação FAS

Comunitários que participam do XII Encontro de Lideranças do Bolsa Floresta estiveram na manhã desta quarta-feira (11) no lançamento da Política Ambiental da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em evento que aconteceu no Auditório da Faculdade de Estudos Sociais (FES), no Campus Universitário, Zona Centro-Sul de Manaus. A ação foi uma oportunidade para a troca de experiências entre os ribeirinhos, instituições socioambientais do Amazonas e a comunidade acadêmica.

Participaram do evento a reitora da universidade, Márcia Perales, o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana, a secretária municipal de meio ambiente e sustentabilidade de Manaus, Kátia Schweickardt e a diretora do Centro de Ciências do Ambiente da Ufam, Therezinha Fraxe. Ambos assinaram o protocolo de intenções da nova política ambiental.

“A UFAM se anima por receber os comunitários no lançamento dessa iniciativa, pois estamos efetivando ações que ampliem ainda mais nossa participação no interior do Estado. Essa política ambiental é um benefício para todos, alunos, professores, e principalmente, sociedade”, comentou Márcia.

A política tem a missão de cuidar do grande espaço natural que abrange o território da universidade, objetivando planejar a instituição para as próximas décadas. A ideia é também pensar na adoção de hábitos ambientalmente responsáveis na cultura universitária. Foram instituídos 13 eixos ambientais, dentre eles consumo consciente, educação ambiental, proteção da fauna e da flora, gestão de resíduos e eficiência energética.

“O Amazonas está passando por um momento muito delicado, com cheias mais frequentes e secas maiores. Tudo isso está interligado, seja pelo cuidado com as florestas daqui, seja no cuidado com os ribeirinhos que preservam a floresta no interior”, explica o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana.

Raimundo Amanço, líder comunitário da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Piagaçu-Purus, destacou a importância do contato dos ribeirinhos com a universidade. Para ele, a aproximação entre academia e unidades de conservação (UCs) precisa ser mantida.

“Para nós é uma grande oportunidade. Nós viemos de longe, e o contato com a universidade é algo que sempre sonhamos na nossa reserva. Esperamos que essa aproximação se mantenha no futuro, para que a gente possa ter cada vez mais alunos formados onde moramos”, finaliza.

Encontro de Lideranças

A programação desta quarta-feira também esteve dedicada ao empreendedorismo ribeirinho: os comunitários mapearam as cadeias produtivas prioritárias nas reservas onde moram, contribuindo nas iniciativas de apoio ao empreendedorismo lideradas pela parceria entre FAS e Sebrae-AM. Também foram discutidas tecnologias sociais replicáveis nos ambientes comunitários, fruto de uma parceria entre FAS e Inpa. O evento acontece na Rua da Maromba s/n, Nossa Senhora das Graças, Zona Centro Sul de Manaus.

Newsletter