Projeto Primeira Infância Ribeirinha apoia a Semana Mundial do Aleitamento Materno

5 de agosto de 2014 - Semana acontece em centenas de países, entre 1 e 7 de agosto.

 
Aleitamento materno é fundamental para o desenvolvimento da criança| Foto: Bruno Kelly

Nas duas Ultimas décadas, pesquisas contribuíram para compreender os benefícios do aleitamento materno para o vínculo entre mãe e filho. A relevância dos resultados levou as mudanças nas recomendações para políticas pUblicas. Muitos estudos também avaliam quais intervenções seriam mais efetivas para um aumento das práticas de amamentação.

No Amazonas, mas especificamente na RDS Rio Negro, onde atua o Programa Primeira Infância Ribeirinha (PIR), foi identificado que 18,4% das crianças não tiveram aleitamento exclusivo, no período de 0 a 6 meses, sendo que 22,2% delas consomem suco e papinha industrializada no café manhã.

Para auxiliar na melhoria das políticas pUblicas sobre o assunto, desde setembro de 2013, a FAS, a Secretaria de Estado da SaUde (Susam), as secretarias municipais de Novo Airão, Manacapuru e Iranduba , com o apoio do Mistério da SaUde, do Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e a Fundação Bernard Van Ler estão realizando orientações no modelo de visitação do PIR, sobre a importância da amamentação materna, com os agentes comunitários de saUde capacitados, que orientam e incentivam o aleitamento materno exclusivo até dois anos ou mais.

A amamentação protege a criança contra diversas infecções e previne a mortalidade infantil. “O leite materno é o alimento adequado para as crianças nos primeiros meses de vida, tanto do ponto de vista nutritivo e imunológico quanto no plano psicológico, além de favorecer o vínculo mãe-filho quando o ato de amamentar é bem vivenciado pelas mães”, esclarece a enfermeira Rhamilly Amud, coordenadora do PIR.

Rhamilly esclarece que a Ultima etapa de capacitação dos agentes de saUde da reserva, que compreende 18 comunidades situadas às margens do Rio Negro, está programada para os dias 14, 15 e 16 de agosto. A ação tem como objetivo capacitar 30 agentes de saUde em desenvolvimento infantil, na metodologia elaborada pela FAS, com apoio de especialistas e da Susam, Primeira Infância Melhor (PIM) do Rio Grande do Sul (RS) e do conselho consultivo do PIR . “São lecionadas técnicas voltadas ao atendimento e atenção à criança, com ênfase na estratégia e conteUdo da visitação domiciliar e na situação atual da infância nas comunidades ribeirinhas”, finaliza Rhamilly.

Sobre a Semana

Em 1990, a Organização Mundial de SaUde (OMS) e Unicef criaram a “Declaração de Innocenti”, adotado por organizações governamentais e não governamentais, assim como, por defensores da amamentação de vários países, entre eles o Brasil. Com o objetivo de seguir os compromissos assumidos pelos países com a assinatura do documento, foi fundada em 1991 a Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação (WABA). Essa Organização criou, em 1992, a Semana Mundial de Aleitamento Materno, para promover as metas da “Declaração de Innocenti”. Ocorre centenas de países e, oficialmente, é celebrada de 1 a 7 de agosto. A WABA define, a cada ano, o tema a ser trabalhado na Semana, entretanto, a data e o tema podem ser adaptados em cada país. No Brasil, desde 1999, o Ministério da SaUde coordena a Semana Mundial de Aleitamento Materno com o apoio de organismos internacionais, secretarias de saUde estaduais e municipais, dede brasileira de bancos de leite humano, hospitais amigos da criança, sociedades de classe e ONGs.

Sobre o PIR

O Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR), desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e a Secretaria de Estado da SaUde (Susam), tem levado para comunidades ribeirinhas, da RDS Rio Negro, ações voltadas à valorização do desenvolvimento de crianças de zero a seis anos, com financiamento da Fundação Bernard Van Leer.

Newsletter