Fapeam financia incubadora de negócios de base comunitária e beneficia cinco unidades de conservação do AM

19 de março de 2015 - Iniciativa deve beneficiar 1,5 mil pessoas direta e indiretamente

Ribeirinhos empreendedores de cinco Unidades de Conservação (UCs) do Amazonas passarão a ser beneficiados por uma incubadora exclusiva para alavancarem suas atividades. Nesta semana, a Incubadora de Negócios Sustentáveis da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) recebeu resposta positiva da Fundação de Amparo a Pesquisa no Amazonas (Fapeam) para um aporte de R$ 186 mil, destinado ao desenvolvimento tecnológico da incubadora e dos empreendimentos de base comunitária no interior do Amazonas. O projeto selecionado está alinhado ao Projeto Empreendedorismo Ribeirinho, implementado em parceria com o Serviço Brasileiro de apoio à micro e pequenas empresas (Sebrae).

A incubadora tem por objetivo apoiar novos empreendimentos comunitários das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDSs) Uacari, Juma, Rio Amapá, Rio Madeira e Rio Negro, por meio de formação empreendedora, suporte na gestão de pequenos negócios e do intercâmbio das experiências adquiridas entre as iniciativas. A ideia é ampliar a geração de renda e promover condições para a sustentabilidade financeira de negócios ribeirinhos com grande potencial do Estado, como o açaí, a borracha, a madeira manejada, o cacau, a farinha e o turismo.

“Esses recursos têm uma importância muito grande, pois ajudam a transformar as oportunidades que se tem no interior em renda efetiva para as pessoas e para as comunidades. Fortalecer os arranjos produtivos locais é o grande objetivo do Bolsa Floresta, e a aprovação desses recursos para o empreendedorismo ribeirinho caminha nesse sentido”, enfatizou o superintendente técnico científico da FAS, Eduardo Taveira.

A expectativa é beneficiar direta e indiretamente 1,5 mil ribeirinhos dos municípios de Carauari, Iranduba, Manacapuru, Manicoré, Novo Airão e Novo Aripuanã. Os recursos do edital Pró-Incubadoras liberados pela Fapeam, destina verbas para iniciativas alinhadas à metodologia do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne), uma ferramenta que busca aprimorar o modelo de gestão das incubadoras.

Para a diretora-presidente da FAPEAM, Maria Olívia Simão, o início das ações fortalecem e aprimoram a cultura de empreendedorismo inovador no Estado. “Os modelos de desenvolvimento são feitos conforme as características de cada município, voltados, portanto, a desenvolver as potencialidades locais”, disse.