Após seminário, roteiro turístico do Rio Negro recebe visitantes de vários países

25 de maio de 2015 - Participantes do Seminário Internacional de Gestão de Áreas Protegidas conheceram vários destinos participantes do Turismo de Base Comunitária apoiado pela FAS

 
Grupo visitou Rio Negro (Foto: Josiani Nascimento/FAS)

Comunidades turísticas da margem direita da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro receberam, no Ultimo sábado (23), visitantes de várias partes da Amazônia, participantes do Seminário Internacional de Gestão de Áreas Protegidas, realizado em Manaus. A visita foi promovida pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), e incluiu passeio por três empreendimentos liderados por ribeirinhos no município de Iranduba (74 km de Manaus).

Estiveram na viagem 10 turistas do Equador, Colômbia, Venezuela e Brasil. O tour iniciou na comunidade Santo Antônio, a 40 minutos de Manaus, onde os turistas puderam nadar com os botos e interagir com o Pirarucu, um dos peixes mais famosos da Amazônia. O espaço ??Recanto dos Botos?? recebe diariamente visitantes de vários lugares do mundo, com um preço que varia entre R$ 15 e R$ 25.

Em seguida, os visitantes conheceram o NUcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Agnello Bittencourt Uchôa, localizado na Comunidade do Tumbira. Além de ofertar educação de qualidade para alunos de comunidades próximas, a comunidade também conta com serviço de hospedagem para turistas na Pousada Garrido, empreendimento totalmente gerenciado por ribeirinhos, no valor de R$ 60,00 a diária, incluindo café da manhã.

O local mostra o quanto é interessante um modelo que alinha turismo e sustentabilidade na Amazônia, explica Sergio Garrido, membro da UCN Sur, de Quito, que visitou o espaço pela primeira vez.

“? uma experiência muito interessante, por que traz uma nova experiência para quem visita e nova fonte de renda para os comunitários. Eles estão muito animados e motivados com essa nova oportunidade, e isso reflete no próprio empreendimento, que está bem cuidado, conservado. Recomendo”, enfatiza.

A visita também passou pela Pousada Vista Rio Negro, construída por ribeirinhos com recursos do Programa Bolsa Floresta (PBF) na comunidade Santa Helena do Inglês. A pousada conta com oito quartos para quatro pessoas cada. As diárias giram em torno de R$ 80, com café da manhã incluso.

“Esse roteiro é uma experiência Unica no mundo. Além de toda a beleza do Rio Negro, os visitantes tem contato com pessoas que mudaram de vida por causa do turismo. Hoje eles têm oportunidade de se profissionalizarem, conhecerem pessoas e compartilharem uma experiência Unica em turismo na Amazônia”, destacou Marcos Vinícius Simão, mestrando em Florestas Tropicais no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Veja abaixo os destinos e os contatos do Turismo de Base Comunitária do Rio Negro:

roteiro rio negro

roteiro rio negro2