Virada Sustentável Manaus exibe documentário sobre Sauim de Coleira e debate preservação da espécie

25 de julho de 2015 - Bate-papo contou com a presença do ator Victor Fasano, representantes da Semmas, PAN Saium de Coleira, e ICMBio

 
Evento foi realizado no Parque do Mindu (Foto: João Paulo Machado)

Manaus pode ser a primeira capital do Brasil a extinguir uma espécie de primata. A situação de ameaça contra o Sauim de cólera foi o assunto discutido entre as atividades da Virada Sustentável no Parque do Mindu realizadas na manhã desta sábado (25). O cine-debate “Sauim de Coleira: Uma espécie que pede socorro” contou com discussão sobre a preservação da espécie que é um dos símbolos da cidade de Manaus.

O bate-papo contou com a presença do ator e ativista ambiental, Victor Fasano, representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), e do Plano Nacional de Conservação – PAN Saium de Coleira, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Estudantes, pesquisadores, especialistas e visitantes participaram das discussões que aconteceram no auditório do Parque do Mindu.

O ator Victor Fasano iniciou a conversa sobre a importância do Sauim de Coleira para o meio ambiente e para a capital amazonense. “O sauim acabou se instalando em áreas desenvolvidas da cidade de Manaus. Isso pode ter sido um azar porque a espécie está cada vez mais ameaçada, mas também sorte porque nós podemos estudá-lo muito mais e de forma mais precisa que outras espécies que estão nos confins da Amazônia”, destacou.

De acordo com dados da Semmas e do PAN Saium de Coleira do IcmBio, o saium de coleira está ameaçado porque o lugar onde a espécie vive está sendo destruída. O crescimento desordenado das cidades e o desmatamento levam a essa extinção. Com isso, é muito frequente ocorrerem acidentes em fios elétricos, ataques de cães e atropelamentos.

O diretor do Departamento de Áreas Protegidas da Semmas, Márcio Bentes Lima, afirmou que a expectativa de conservação deve ser mantida. “Nós não estamos perdendo a batalha. Uma coisa positiva é a questão de muita gente estar trabalhando no tema. O que existe é que precisamos mobilizar ainda mais pessoas para trabalhar na preservação do sauim”, explicou.

Segundo o presidente do ICMBio, Cláudio Maretti, é necessário preservar também as unidades de conservações e parques para abrigar o primata. “Precisamos ser confiantes e lutar contra a extinção. Precisamos agradecer porque o sauim pode contribuir para a qualidade de vida em Manaus já que animais da espécie são grandes responsáveis por distribuição de sementes na natureza, por exemplo”, disse.

Maretti também lembrou a necessidade de formalizar parcerias com o poder pUblico e iniciativa privada para a preservação. “Precisamos de uma associação do sauim de coleira e procurar ONGs e empresários para apoiar a capacitação e investimento de pessoas voltadas para trabalhar na luta contra a extinção da espécie. O ICMbio quer ser parceiro nesta iniciativa”, completou.

Em março deste ano, Ongs, Prefeitura de Manaus e Governo do Estado iniciaram a campanha ‘Sauim-de-Coleira, Uma Espécie que Pede Socorro’. A campanha SOS Sauim enfatiza que Manaus pode ser a primeira capital do Brasil a extinguir uma espécie de primata. Com isso, marca o início do ‘Ano do Sauim’, que terá uma extensa programação de ações de conscientização e educação ambiental nas cidades que abrigam os animais. A iniciativa faz parte do Plano de Ação Nacional de Conservação do Sauim-de-Coleira (PAN), coordenado pelo ICMBio, criado em 2011 e com vigência até 2016.

O saium de coleira é um mamífero que vive na floresta amazônica, onde é endêmico no estado do Amazonas, especificamente em três municípios: Manaus, Itacoatiara e Rio Preto da Eva. Seus hábitos são diurnos e, durante a noite, dormem nas árvores. O saium segue em risco de desaparecer da fauna de Manaus nos próximos 40 anos.

(Texto: Vanessa Brito)