FAS e Prefeitura de Maraã, no AM, renovam parceria para beneficiar 650 crianças e adolescentes na RDS Amanã

16 de fevereiro de 2016 - Programa leva atividades de educação, lazer e esporte para comunidades ribeirinhas

 

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e a Prefeitura de Maraã renovaram, nesta segunda-feira (15), termo de cooperação para execução do Programa de Desenvolvimento Integral das Crianças e Adolescentes Ribeirinhas da Amazônia (Dicara) na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Amanã. Com a parceria, cerca de 650 crianças e adolescentes de 13 comunidades rurais nos municípios devem ser beneficiadas por atividades de esporte, cultura e educacionais. O projeto conta com investimentos no valor de R$ 970 mil, doados pelo Bradesco por meio do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fumcad).

As atividades do programa serão realizadas no período vespertino, após as aulas. Os estudantes, de 7 a 17 anos, se reunirão em pólos. Estão previstas atividades como aulas de informática, artesanato, mUsica, dança, escolinhas de futebol, além de palestras sobre temas diversos como combate às drogas, saUde, violência doméstica, educação sexual, entre outros. O convênio prevê a realização de ações durante 15 meses, com pausa no período eleitoral.

A assinatura do termo de cooperação contou com a presença do superintendente-geral da FAS, Virgilio Viana, do prefeito de Maraã, Cícero Lopes, de representantes das prefeituras de Novo Aripuanã e Itapiranga, e do gestor da RDS Uatumã na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Cristiano Gonçalves.

Para o superintendente-geral da FAS, Virgilio Viana, a renovação da parceria em Maraã é reflexo do sucesso da primeira fase do programa. “Os doadores viram os resultados positivos que tivemos em Maraã e resolveram investir em mais ações na RDS Amanã. Este é um indicador de que estamos indo no caminho certo. ? um programa com atividades importantes para o futuro das comunidades”, declarou.

Segundo o prefeito de Maraã, a nova fase do projeto deve aumentar o impacto na região. “No primeiro estávamos aprendendo a trabalhar com o Fumcad, então agora acreditamos que a ação será mais eficiente. Já vemos muitas melhorias nas comunidades atendidas pelo projeto. Infelizmente, há um grande problema com drogas nas comunidades ribeirinhas, mas a cada dia, com esses cursos e seminários, aumenta a sensibilidade dos pais, alunos e professores para este problema e dá esperança aos jovens. ? um grande passo na melhoria da qualidade de vida destes meninos. Nós só temos a agradecer à Fundação, ao Bradesco e aos demais doadores que fazem um belo trabalho para apoiar as crianças da floresta”, afirmou.

Em 2014, o programa atendeu crianças e adolescentes nos municípios de Maraã, Carauari e Uarini. Neste ano, deve chegar ainda a Novo Aripuanã (RDS do Juma) e Itapiranga (RDS Uatumã).

Newsletter