Projeto Primeira Infância Ribeirinha participa de Simpósio sobre saúde da família em Brasília

29 de março de 2016 - Evento foi promovido pela Ministério da Saúde em parceria com United Way Brasil

 

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) participou nos dias 22 e 23 de março do Simpósio “O Papel da Estratégia SaUde da Família no Estímulo ao Desenvolvimento da Primeira Infância”, realizado pelo Ministério da SaUde e pela United Way Brasil em Brasília. A Fundação apresentou o exemplo do Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR), que levou assistência para mais de 588 crianças do interior do Estado em 2015.

O evento teve como objetivo fortalecer a discussão sobre o desenvolvimento integral das crianças durante a primeira infância, que compreende a faixa etária de 0 a 6 anos. O enfermeiro do município de Iranduba e supervisor do PIR, Francisco Miguel, apresentou a experiência dos agentes na promoção do desenvolvimento na primeira infância, e como é desenvolvido o processo de formação dos agentes comunitários de saUde.

“Nossas atividades na região amazônica são especiais, porque é um lugar muito diferente das outras regiões do Brasil. Fizemos um trabalho de mobilização com vários agentes do município, trabalhando não só o modelo de visitação em si, mas a auto-estima desses profissionais, que as vezes não tinham nem ferramentas de trabalho”, explica Francisco, que atua em 12 comunidades ribeirinhas do município de Iranduba-AM.

O PIR tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento dos cuidadores das crianc?as, fortalecendo o vi?nculo entre os pais e os e filhos, ale?m de desenvolver compete?ncias dos agentes comunitários de saUde. A metodologia, que teve início na RDS do Rio Negro e em 2015 chegou também à RDS Mamirauá, consiste na capacitac?a?o de agentes comunita?rios de sau?de, que, munidos de modelo de visitac?a?o elaborado pelo PIR, realizam acompanhamento da evoluc?a?o das crianc?as desde a gestac?a?o ate? os seis anos de idade.

“As ações de primeira infância na região amazônica precisam de um cuidado diferenciado. O PIR lida diretamente com populações tradicionais, e que ficam muito distantes dos serviços de saUde, o que torna o desafio ainda maior”, explica Rhamilly Amud, coordenadora do PIR.

Esta semana, a FAS participa do II Seminário de SaUde e Primeira Infância, realizada pelo Ministério da SaUde no Rio de Janeiro.

Newsletter