Atividades de Incentivo à Leitura e Escrita reúnem 500 pessoas na comunidade Abelha

4 de agosto de 2016 - Espetáculo promovido na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma envolve moradores de 10 comunidades dos rios Mariepaua e Aripuanã

 

Mais de 500 moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma participaram neste fim de semana do encerramento do primeiro módulo do Projeto de Incentivo à Leitura e Escrita, desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com a Samsung, o Banco Bradesco e o Instituto Alair Martins. Um grande espetáculo de teatro foi promovido na comunidade Abelha com estudantes, professores e moradores de várias comunidades da reserva.

Promovido pelo Programa de Educação e SaUde da FAS, o projeto promove rodas de leitura que buscam incentivar a aprendizagem e a criação de poesias com alunos da RDS do Juma e Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro. As atividades são divididas em três módulos: conhecimento de si mesmo, elaboração de roteiro teatral, ensaios técnicos e apresentação, estas Ultimas realizadas com alunos do Juma no Ultimo sábado (30). O espetáculo teatral realizado reuniu mais de 350 espectadores, envolvendo cerca de 100 alunos de 10 comunidades, com uma equipe técnica de 15 pessoas.

“Foi um desafio subir no palco com os meus colegas, ainda mais na frente de outras comunidades. Mas a grande lição que fica foi não só ter aprendido regras de escrita e gramática, e sim me comunicar melhor com meus amigos”, explica Lucas Brazão, estudante do sétimo ano da comunidade Abelha.

Os alunos do NUcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Abelha foram divididos em grupos, responsáveis por retratar nos palcos as lendas amazônicas do boto, guaraná, mandioca, curupira, Iara e lua. Os roteiros foram elaborados e discutidos entre os alunos, que também tiveram um trabalho especial de pintura e figurino.

“Mais do que incentivar a leitura e escrita, esse projeto busca melhorar o relacionamento interpessoal dos alunos com a comunidade, e traz um movimento para as pessoas diferente ao longo de sua realizacão. O mais interessante é ver os pais, amigos e vizinhos acompanhando o resultado de um processo”, explica o supervisor de arte e educação da FAS, Adriano Rodrigues.

Encontro com a literatura

A iniciativa também doou a estudantes e professores da Lcerca de 100 exemplares do livro A Cidade Ilhada, do escritor amazonense Milton Hatoum. Os livros foram entregues na sexta, encerrando o primeiro módulo do projeto na Comunidade Abelha. A localidade possui um ano letivo diferenciado, em função das secas do Rio Mariepaua: as aulas iniciam em janeiro e terminam no início de agosto. No retorno às atividades, os alunos devem levar à escola um resumo sobre a obra.

“O Instituto Alair Martins, enquanto braço social do Grupo Martins, fica muito feliz em ver que todo o seu apoio vem sendo convertido em um grande esforço para levar educação e conhecimento artístico no campo. ? isso que esperamos, que todo o incentivo deixem frutos a serem colhidos pelas próximas gerações”, destaca Eweni Gomes, representante do Grupo Martins.

O projeto conta com apoio da Secretaria de Estado da Educação e Qualidade de Ensino (Seduc) e Secretaria Municipal de Educação de Novo Aripuanã.

Newsletter