Bolsa Floresta ganha adesão de 232 novas famílias da RDS Puranga Conquista

17 de outubro de 2016 - Com a adesão, as famílias podem participar dos Programas de Geração de Renda e Associativismo Comunitário, da FAS

 

Na primeira quinzena de outubro, um total de 232 famílias aderiram de forma voluntária ao Programa Bolsa Floresta (PBF), iniciativa que busca recompensar e melhorar a qualidade de vida das populações tradicionais de 16 Unidades de Conservação (UCs) do Amazonas. A adesão foi promovida em oficinas participativas realizadas entre o período em comunidades dos rios Negro e Cuieiras, em parceria com Fundo Amazônia/BNDES e Banco Bradesco.

Para promover a adesão ao Programa, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) realizou um levantamento socioeconômico de todas as famílias moradoras da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Puranga Conquista, que foi criada pela Lei. 4015, de 24 de março de 2014. Os ribeirinhos foram mobilizados para participar de três oficinas de adesão ao Bolsa Floresta, onde foram explicados de forma didática os mecanismos de funcionamento da iniciativa e a importância dos ribeirinhos moradores de UCs na conservação da floresta em pé.

“A adesão voluntária ao Programa requer a participação em oficinas, capacitação em mudanças climáticas e serviços ambientais, além da não abertura de novas áreas de roçado em áreas nativas e a permanência ou ingresso dos filhos na escola”, explica a coordenadora geral do Bolsa Floresta, Valcleia Solidade.

Após a oficina, foram realizados o cadastramento e a assinatura de um termo de compromisso, que credenciaram as famílias a receber os benefícios trazidos pela iniciativa.

img_4809

As oficinas foram realizadas entre os dias 08 e 10 de outubro nas comunidades Nova Esperança, Bela Vista do Jaraqui e Santa Maria, com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Com a adesão, as famílias podem participar dos Programas de Geração de Renda desenvolvido pela FAS, que apoia alternativas sustentáveis para a melhoria econômica da região, como turismo, artesanato e produção sustentável, e também do Programa de Empoderamento Comunitário da FAS, explica a coordenadora da regional Negro-Amazonas da FAS, Jousanete Dias.

“A próxima etapa é os comunitários iniciarem em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) o processo de criação de uma associação de moradores. A ideia é que eles fiquem empoderados a receberem investimentos do programa e ganham voz para lutar por melhorias para as comunidades”, explica a coordenadora.

Hoje o Bolsa Floresta atua por meio de quatro componentes: Geração de Renda (PBF Renda), Apoio à Infraestrutura Social (PBF Social), Empoderamento Comunitário (PBF Associação), e o componente Familiar (PBF Familiar). Esses quatro subprogramas compõem o programa de pagamento por serviços ambientais implementados pela FAS.

NUmeros

Em setembro de 2016, o Bolsa Floresta alcançou a marca de 39.995 pessoas e 9.500 famílias beneficiadas em 16 UC estaduais do Amazonas, uma área de 10.951.980 hectares. O investimento repassado anualmente por família soma R$ 1.096 e é definido em função das demandas das comunidades, após discussão ampla e democrática em oficinas de gestão participativa dos beneficiários.

Newsletter