Mulheres do Rio Negro fazem exames gratuitos de detecção do vírus HPV

6 de abril de 2017 - Iniciativa da FAS realiza exames com moradoras de quatro comunidades da RDS do Rio Negro

 
Atividade foi realizada em comunidades da RDS do Rio Negro (Foto: Lola Mendes)

Um mutirão realizou exames preventivos e atendimentos de saúde em mulheres moradoras da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, que compreende a região dos municípios de Iranduba e Manacapuru (100km de Manaus). A ação beneficiou moradoras de quatro comunidades da reserva, por meio de uma iniciativa da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), com apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Universidade Aberta da Terceira Idade (UnAti), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Ao todo, receberam atendimento durante esta semana 40 mulheres com vida sexual ativa, com idades entre 17 e 64 anos, das comunidades Santa Helena do Inglês, Saracá, Carão, Tumbira e Terra Preta. Nesta fase da ação, foram entregues os resultados dos exames papanicolau coletados em dezembro do último ano. O exame detecta inflamações, infecções e alterações causadas pelo HPV, como câncer de colo de útero.

“O papanicolau permite o diagnóstico mais breve possível de doenças que precisam de tratamento urgente. Muitas vezes essas mulheres passam anos sem fazer exame acarretando consequências graves como o câncer de colo de útero, e isso em uma região de pouca assistência”, explica a coordenadora do Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR), Rhamilly Amud.

Com o retorno dos exames, as pacientes com quadro clínico satisfatório e de menor gravidade receberam receitas indicando o tratamento médico mais adequado. Já as pacientes com situação clínica que apresentaram alterações de maior gravidade foram direcionadas ao ginecologista.

“Para uma comunidade ribeirinha é essencial trabalharmos a saúde da mulher como prioridade. O exame deve ser feito pelo menos uma vez ao ano, principalmente em um estado como o nosso estado, que está no topo dos índices de incidência de câncer de colo do útero”, ressalta Rhamilly.

As atividades foram possibilitados por uma parceria entre FAS, UnAti e UFRGS, com apoio do Bradesco.

blogdoenvolvimento1

blogdoenvolvimento1

sdsn fas

sdsn fas

Newsletter