Primeira Infância Ribeirinha capacita agentes comunitários de saúde da Resex Catuá-Ipixuna

24 de maio de 2017 - Ação foi uma parceria entre Programas Bolsa Floresta e de Educação e Saúde, com recursos do Fundo Amazônia/BNDES e apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e Johnson & Johnson

 
Formação na Resex Catua Ipixuna | Foto: Edvaldo Correa

No período de 8 a 11 de maio, cerca de trinta profissionais da saUde da Reserva Extrativista (Resex)Catuá-Ipixuna, no norte do Amazonas, participaram de capacitação do Programa Primeira Infância Ribeirinha (PIR) da Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Inédito na reserva, o treinamento foi realizado na comunidade São Sebastião de Água Branca.

Durante uma semana, a equipe do PIR realizou atividades com os agentes comunitários de saUde, professores e lideranças comunitárias da região com o principal objetivo de estimular o acompanhamento do desenvolvimento infantil desde a gestação até os seis anos de idade de famílias dessas localidades.

A ação entregou um kits de saUde para atendimento de crianças e adolescentes na reserva, e de educação, incluindo itens como balança, termômetro, medidor de pressão, kit de higiene bucal, e o Guia de Visitação Domiciliar, desenvolvido pela FAS, em parceria com o Programa Primeira Infância Melhor.

Segundo Rhamilly Amud, coordenadora do PIR, a capacitação foi um importante marco na a formação dos agentes locais, que enfrentam desafios devido à distância das comunidades na Reserva:

“Ser Agente Comunitário em uma região como essa é um enorme desafio, principalmente devido às dificuldades de acesso a informação e a equipamentos. Foi um uma oportunidade muito importante de acrescentar conhecimentos essenciais à formação desses agentes”, afirma.

Para o gestor da Reserva, Erivan Morais, a metodologia do PIR permite trabalhar a importância do cuidado com as pessoas e com o meio ambiente de forma integral.

“? um Programa que vem somar muito ao poder pUblico para o desenvolvimento da Reserva, porque trata tanto da prevenção e do acompanhamento familiar nas comunidades quanto da educação ambiental”, conclui.

Localizada entre Coari e Tefé, a Resex Catuá-Ipixuna compreende 13 comunidades e 212 famílias, em uma área de 2.174,86 Km² (217.486,00 hectares). O PIR está sendo implementado na região esse ano, e começará a supervisionar os agentes comunitários de saUde da Resex a partir de agosto.

Sobre o PIR

O PIR visa a promoção do desenvolvimento integral da criança, desde a gestação até os seis anos de idade, por meio da integração das Políticas PUblicas desenvolvidas no âmbito da saUde, educação e assistência social do estado e dos municípios. Iniciado na Reserva de Desenvolvimento Sustentá- vel (RDS) do Rio Negro, o PIR formou 16 Agentes Comunitários de SaUde (ACS), que beneficiaram cerca de 180 famílias ribeirinhas da reserva. A partir de 2016, o projeto passou a ser implementado em mais quatro RDS: de Uatumã, Amanã, Mamirauá e Floresta Estadual de Maués, formando 100 agentes comunitários de saUde para acompanhar vários aspectos do desenvolvimento das crianças ribeirinhas, desde a gestação até os seis anos de idade. No total, mais de 840 famílias destas Unidades de Conservação (UC) são acompanhadas. Em 2017, o PIR está sendo implementado em novas UCs como a Resex Catuá-Ipixuna. A iniciativa serviu de inspiração para a criação do Primeira Infância Amazonense, política pUblica instituída pelo Governo do Amazonas.

 

Newsletter