Atleta amazonense é o primeiro indígena a representar o Brasil no Mundial de tiro com arco

10 de julho de 2017 - Nelson de Moraes classificou-se no último final de semana para Mundial de Tiro com Arco da categoria cadete que ocorrerá em outubro, na Argentina

 
Nelson de Morais na seletiva em Maricá, RJ, no último fim de semana (Foto: Anibal Forte/FAS)

 

O Amazonas entrou para a história da arquearia no último final de semana: pela primeira vez um atleta indígena representará o Brasil no Campeonato Mundial de Tiro com Arco. A classificação foi conquistada nesse final de semana por Nelson Silva de Moraes, 17, para a edição do Mundial de Cadetes que acontecerá em outubro na Argentina.

Nascido na comunidade kambeba Três Unidos, a 70 km de Manaus, Nelson (Inha, em kambeba) faz parte do Projeto de Arquearia Indígena da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) desde 2014, já participou de competições internacionais como o Arizona Cup (EUA), onde conquistou a medalha de bronze, e o Campeonato Panamericano na Costa Rica, conquistando medalha de ouro pela equipe mista. A classificação para um Campeonato Mundial, porém, é inédita para o atleta – e para o Amazonas.

“É um momento histórico não somente para o Amazonas mas para o Brasil”, comenta o técnico da equipe da FAS, Anibal Forte. “O Nelson é parte de uma equipe de atletas que vem nos surpreendendo pelo talento e principalmente pela determinação. E essa conquista é o reflexo disso” conclui.

Para Nelson, a classificação representa um passo a mais no rumo de um sonho: competir numa Olimpíada.

“Quando comecei em 2014 não imaginava que um dia estaria num Mundial com os melhores da categoria” afirma, “com certeza isso me dá confiança de em breve realizar meu sonho e representar o Brasil numa Olimpíada”, comenta o atleta, confiante.

O atleta kambeba classificou-se pela equipe brasileira após competir na seletiva final em Maricá, RJ, com 17 atletas de todo o Brasil. Ele e os outros dois finalistas irão representar o país na categoria Cadete, de atletas de 16 a 18 anos, no Campeonato Mundial de Tiro com Arco de Cadetes, na cidade argentina de ROsário em outubro.

 

Projeto de Arquearia Indígena da FAS

Desenvolvido desde 2013, o projeto tem o objetivo de contribuir para a popularização da arquearia e fortalecer a imagem e autoestima das populações indígenas da Amazônia. A ação é uma iniciativa da FAS, em parceria com o Banco Bradesco, a Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco) e apoio da Confederação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas (Coipam), da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), e do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer do Amazonas (Sejel).

A iniciativa conta com o patrocínio das Lojas Bemol e Fogás, por Meio da Lei de Incentivo ao Esporte, e de forma inédita, pretende colaborar para a formação de atletas de alto rendimento e o fortalecimento da equipe brasileira de tiro ao arco para competições locais, nacionais e internacionais, incluindo a Olimpíada de Tokio 2020.

Newsletter