Associações venderão pirarucu manejado na Feira Urbana de Alternativa (Fuá), neste domingo

28 de setembro de 2017 - Peixe manejado vive livre em rios e lagos naturais dos Rio Solimões e Jutaí, e conta com apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e parceiros

 

As associações de moradores das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Cujubim e Mamirauá venderão pirarucu fresco e salgado, manejado de Unidades de Conservação (UCs), na Feira Urbana de Alternativas (Fuá) do próximo domingo (1). A feira é gratuita e aberta ao público a partir das 09h, na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Rua Álvaro Braga, 351, Parque 10 de Novembro.

Ao todo, serão disponibilizadas para venda direta ao consumidor oito toneladas de pirarucu fresco, e meia tonelada de pirarucu seco, que tem produção sustentável autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), e apoiada pelo Programa Bolsa Floresta (PBF), por meio do Fundo Amazônia/BNDES.

O peixe fresco será vendido a R$ 18,00 o kg de filé, R$ 14,00 a ventrecha, e a R$ 5,00 a carcaça. O pirarucu seco será vendido a R$ 20,00 o kg da ventrecha, e R$ 23,00 o filé. A comercialização direta realizada pelos manejadores aos consumidores, sem atravessador, beneficiará 95 famílias de ambas as reservas, além de ajudar a proteger os estoques de pescado da própria região.

“No manejo, pescarmos somente até 30% dos pirarucus contados, com peso e dimensões corretos, para garantir a reprodução para os próximos anos. Além disso, a gente tem que proteger o lago o ano todo de pescadores ilegais, para garantir que a cota de pesca seja boa. isso demanda um grande esforço das comunidades que participam do manejo”, explica Edvar Bezerra, presidente da Associação dos Extrativistas da RDS Cujubim (AERDSC).

Saúde na mesa

O pirarucu de manejo comunitário é pescado de lagos e rios, onde tem vida livre na natureza. Essa característica assegura que o pescado é orgânico, o que confere maior sabor e saúde ao consumidor, explica o coordenador regional da FAS, Marcelo Castro.

“O pirarucu de manejo é um alimento mais saboroso e saudável, pois o peixe cresceu livre em lagos. Na pesca deste ano, tivemos peixes de até 170 quilos, com média de peso na RDS Cujubim de 90 quilos, em dois metro de comprimento. Então uma população de pescado com muita qualidade, além de sua dieta consistiu em uma alimentação natural, não recebendo rações processadas. Além disso, ao comprar o pirarucu oriundo de lagos de manejo sustentável diretamente dos manejadores você está contribuindo com a manutenção da espécie em áreas protegidas e valorizando o produtor local”, explica.

Feira Urbana de Alternativas

O Fuá é um evento cultural produzido pela CasaCinco e FAS em Manaus, que busca difundir os ideais da sustentabilidade através de suas atividades socioeducacionais. O domingo (01) será marcado pela edição “Crianças”. Nessa edição, a arrecadação de doações ficará por conta de Associação de Pais e Amigos do Down no Amazonas (APADAM), que receberá brinquedos novos ou usados que serão destinadas a crianças com síndrome de Down.

 

Newsletter