Amazonas estará na 23º Conferência do Clima da ONU, na Alemanha

7 de novembro de 2017 - O Amazonas estará presente na 23º Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece entre os dias […]

 
Rio Madeira, Amazonas -(Foto Bruno Kelly)

O Amazonas estará presente na 23º Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece entre os dias 06 e 17 de novembro em Bonn, na Alemanha. O evento, que promove a negociação em alto-nível de medidas globais para o combate às mudanças do clima, contará com a presença da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), organização não-governamental local que beneficia cerca de 40 mil pessoas moradoras de 16 Unidades de Conservação (UCs) do Estado.

Reunindo representantes de 197 países, a conferência é uma oportunidade para apresentar avanços e desafios da agenda ambiental global, reunindo atores e financiadores de vários segmentos em torno do tema. Com quase 10 anos de atuação na Amazônia, a FAS promoverá quatro eventos distintos ligados à temas como mercado de carbono, desenvolvimento sustentável e melhoria de qualidade de vida de comunidades ribeirinhas da região. As ações da Fundação no tema ajudam a proteger 10,9 milhões de hectares de floresta, uma área do tamanho de Portugal.

“Dentre as coisas mais importantes que precisam ser discutidas é a valorização econômica do carbono da Amazônia. Esperamos apresentar o papel das nossas florestas na redução das emissões de carbono no planeta como um todo. Por ser a maior floresta tropical do mundo, o estado tem papel estratégico nas negociações sobre o futuro”, explica Virgílio Viana, superintendente-geral da FAS.

Virgilio Viana, superintendente geral da FAS (foto: Marina Souza)

Na quarta-feira, 8 de novembro, a Aliança REDD+ Brasil, a qual a FAS integra, organizará o evento “Remoldurando o REDD+ no Brasil”, que apresentará o potencial brasileiro de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, mais manejo florestal sustentável, em relação às oportunidades do mercado de carbono. Em debate estará como a Amazônia, cerca de 60% do território do país, pode ser beneficiada com recursos internacionais para conservação da floresta e melhoria de qualidade de vida das populações tradicionais.

No dia 10 de novembro, a Fundação convoca a comunidade internacional para debater “Como conciliar a redução do desmatamento com os ODS na Amazônia”, no Espaço Brasil. O objetivo é discutir estratégias voltadas à promoção dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Bacia Amazônica com representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), do Fundo Amazônia/BNDES e do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), que se reuniu em Manaus este ano.

Soluções para desenvolvimento em pauta

No dia 13, junto com a Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN-Amazônia) e a Universidade de Bonn, será realizado o evento “Muito grande para falhar: a Amazônia e soluções para o desenvolvimento sustentável”, buscando apresentar alternativas para a conservação da região.

O Programa Bolsa Floresta, que recompensar famílias que não desmatarem, e a Plataforma SDSN, que busca integrar soluções para a sustentabilidade na região, serão apresentados e debatidos em sessão aberta para participantes do mundo todo. Somente o Bolsa Floresta ajuda a levar qualidade de vida e empoderamento comunitários para 9 mil famílias do interior.

Por fim, e ainda a ser confirmado, no dia 14 haverá o evento “Novos progressos para medir os compromissos dos setores privado e governamental para combater o desmatamento e diminuir as emissões” em parceria com o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Observatório do Clima, Rainforest Alliance e outros, que tratará os avanços das políticas públicas e iniciativas privadas para a conservação.

Sobre a FAS

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira não governamental, sem fins lucrativos, de utilidade pública estadual e federal. Por meio de seus programas, leva iniciativas de geração de renda, melhoria de qualidade de vida, empoderamento comunitário que beneficiam cerca de 40 mil pessoas, moradoras de 583 comunidades de 16 Unidades de Conservação (UCs). Saiba mais: www.fas-amazonas.org

Newsletter