FAS conquista Prêmio Qualidade Amazonas 2017

24 de novembro de 2017 - A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) foi vencedora do Prêmio Qualidade Amazonas 2017, que premia melhores práticas públicas e privadas de […]

 
Solenidade de entrega do Premio (foto: Jammes Aguiar)

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) foi vencedora do Prêmio Qualidade Amazonas 2017, que premia melhores práticas públicas e privadas de gestão no Estado. O reconhecimento veio na categoria de organizações sem fins lucrativos, com o Projeto Primeira Infância Ribeirinha, que busca levar atenção integral à crianças de 0 a 6 anos moradoras de Unidades de Conservação (UC). A solenidade de entrega aconteceu nesta quinta-feira (23), em evento realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM).

O PQA premia esforços de organizações privadas, públicas ou sem fins lucrativos em prol da qualidade e da produtividade. A condecoração é um indicador do nível de excelência de organizações, buscando estimular o compartilhamento de melhores práticas de gestão no Estado. É considerado pela classe empresarial como o “Oscar da Qualidade” no Amazonas.

“Esse prêmio tem um simbolismo enorme, pois mostra a dedicação que temos na melhoria da gestão dos projetos desenvolvidos na FAS. É também algo que nos anima para melhorar cada vez mais, sempre na busca por eficiência e eficácia, buscando a qualidade de vida das crianças ribeirinhas”, enfatizou o superintendente geral da FAS, Virgilio Viana.

Vencedor do prêmio, o Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR) leva atenção integral para crianças de 0 a 6 anos moradores de Unidades de Conservação (UC) do Amazonas em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (Susam), Johnson & Johnson, Bernard van Leer e Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis). O projeto visa contribuir para o aperfeiçoamento dos cuidadores de crianças, por meio do fortalecimento do vínculo entre os pais e os filhos, além de desenvolver competências dos agentes comunitários de saúde de comunidades ribeirinhas.

A iniciativa já beneficiou mais de 1,5 mil crianças moradoras das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, Mamirauá, Amanã, Uatumã, Madeira, Juma, além da Floresta Estadual (Florest) de Maués.

“O Primeira Infância Ribeirinha foi escolhido não só pelos resultados, que foram incríveis, mas principalmente pela capacidade de gestão na entrega de resultados de impactos. Acima de tudo é um prêmio de todo um time da FAS que está dia e noite comprometido com o desenvolvimento sustentável da Amazônia”, enfatizou o superintendente técnico-científico, Eduardo Taveira, que esteve na cerimônia.

O PIR também serviu de inspiração para o Programa Primeira Infância Amazonense (PIA), política pública estadual sancionada em 2016 que visa levar atenção para crianças de todo Estado.

Newsletter