Software EDK leva Provinha Brasil digital para comunidades remotas do Amazonas

18 de maio de 2018 - Desenvolvido por FAS e SIDIA, aplicativo para tablets e celulares deve facilitar acesso à educação em áreas isoladas do Amazonas

 
Lançamento foi realizado na sede da FAS | Foto: Michelle Costa

Estudantes de Tefé, Jutaí e Iranduba-AM participaram em caráter experimental da Provinha Brasil em versão digital, uma inovação trazida pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com o Samsung Instituto de Desenvolvimento da Informática para AmazôniaInstituto (SIDIA), do Amazonas. Pioneiro no Brasil e desenvolvido no estado, o sotfware EDK deve facilitar o acesso ao teste em áreas remotas da Amazônia e outras regiões do país, possibilitando a avaliação de estudantes em tempo real.

Na fase de testes, 200 alunos de 18 escolas de comunidades tradicionais dos rios Solimões e Negro participaram do teste, composto ainda por 80 avaliações orais e contraprovas de leituras. A ideia foi possibilitar aos professores, pedagogos e também às secretarias municipais de educação do interior o monitoramento do desempenho dos estudantes, influenciando o estabelecimento de prioridades e a elaboração de políticas públicas de educação.

“Corrigir as provas dos estudantes anteriormente era um grande desafio, algo que levava até seis meses para ser feito. Com o EDK, em alguns minutos já pode se ter um diagnóstico preciso da situação dos alunos. A tecnologia do SIDIA vai trazer rapidez e informação necessária para levar educação para áreas remotas da Amazônia”, enfatiza a coordenadora do Programa Educação e Saúde, Nathália Flores.

O aplicativo, que pode rodar em tablets e celulares, foi desenvolvido nos escritórios da Samsung SIDIA de Manaus. Após a fase de desenvolvimento, dois testes foram realizados com apoio logístico da FAS, em que foi testado a usabilidade visando melhorias na aplicação.

“A ideia do programa foi transformar a educação nas comunidades da região amazônica, promovendo o acesso a estudantes localizados nas áreas mais afastadas, levando diferença no aprendizado. Uma tecnologia que tem um propósito social muito grande e gratificante”, afirma Álvaro Gonçalves, gerente de Soluções do SIDIA.

Após a fase de testes, a expectativa é ampliar o uso dos aplicativos para mais áreas remotas, aproveitando a logística da FAS e otimizando a articulação com secretarias de municípios do interior.

Veja como foi a aplicação da Provinha:

 

Newsletter