Arqueiros indígenas conquistam ouro e prata nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, na Bolívia

5 de junho de 2018 - Jovens fazem parte do Projeto Arquearia Indígena no Amazonas, da Fundação Amazonas Sustentável (FAS)

 
Graziela e Gustavo conquistaram duas medalhas de ouro e uma de prata, respectivamente | Foto Anibal Forte

Os irmãos Graziela e Gustavo Paulino dos Santos, arqueiros indígenas profissionais da etnia Karapanã, conquistaram duas medalhas de ouro e uma de prata no torneio de tiro com arco recurvo dos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018, que acontece até sexta-feira (8) na Bolívia. Os irmãos integram o Projeto de Arquearia Indígena da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), que busca contribuir diretamente para a promoção da cultura e imagem indígena do Amazonas.

Nesta terça-feira (5), Graziela (Yaci, em Karapãna) fez parte da equipe que conquistou medalha de ouro ao vencer atletas colombianas Ana Maria Rendon Martinez, Valentina Contreras Perez e Maira Alejandra Sepulveda Villa, por um placar de 5 a 3 na categoria recurva feminina. A equipe brasileira é formada por Graziela, Ana Clara Machado e Ana Luiza Caetano.

Yaci também conquistou o título de campeã na categoria recurva aberta individual feminina. A arqueira competiu contra a brasileira Ana Clara Dias de Carvalho, que ficou em segundo lugar e a venezuelana Mayra Alejandra Mendez Fuenmayor, em terceiro. A vitória de Yaci é inédita para brasileiros na categoria tiro com arco em 11 edições do campeonato.

“Fiquei em primeiro lugar nas classificatórias também conquistamos o ouro por equipes. Estou muito feliz por levar essa medalha para o Brasil. Essa conquista vai levantar a minha carreira e dar confiança para as próximas competições internacionais”, disse Graziela, que segue preparação para o mundial de Tokyo 2020.

Na modalidade masculina, a equipe brasileira, representada pelo arqueiro Gustavo Paulino (Ywitu), conquistou a medalha de prata após duelo com os atletas colombianos Andres Manuel Pila Solano, Daniel Felipe Pineda Osorio, Estiven Ramirez Gonzalez, pelo placar de 6 a 2 na final. A Argentina conquistou o bronze ao vencer o Chile por 6 a 0.

“A prata no torneio por equipes representa muito para mim e meus colegas de seleção. É muito satisfatório conquistar uma medalha logo em nossa primeira participação em nosso primeiros Jogos. Não é qualquer um que pode representar o Time Brasil representando o nosso país e isso me dá muito orgulho”, destaca o atleta.

Projeto de Arquearia Indígena no Amazonas*

Desenvolvido desde 2013 pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), o projeto tem o objetivo de contribuir para a popularização da arquearia e fortalecer a imagem e autoestima das populações indígenas da Amazônia. A ação é uma iniciativa em parceria com o Banco Bradesco, a Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco) e apoio da Confederação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas (Coipam), da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), e do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer do Amazonas (Sejel).

Os atletas contam com o patrocínio das Lojas Bemol, Fogás, Val Group, além de apoio da Latam, Bradesco, Accor Hotéis Centro Educacional La Salle e Faculdade La Salle, por Meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

 

Newsletter