Estudantes do Projeto Repórteres da Floresta recebem visita da Miss Brasil Mayra Dias

19 de setembro de 2018 - Postulante a Miss Universo, jornalista amazonense eleita mulher mais bonita do Brasil adota a Amazônia como causa

 
Miss Brasil conheceu jovens que transformam a própria realidade | Foto: Bruno Kelly

Recém empossada embaixadora da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), a Miss Brasil Be Emotion e amazonense Mayra Dias viajou na última segunda-feira (17) até a comunidade Tumbira (Iranduba-AM), a 74 km de Manaus, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, para conhecer e interagir com jovens ribeirinhos atendidos pela ONG amazonense. A ação faz parte de uma série de agendas voltadas à sustentabilidade adotadas pela Miss, que disputa em novembro o posto de Miss Universo em Bangkok, na Tailândia.

Mayra, nascida no município de Itacoatiara, foi recebida por 20 jovens estudantes da comunidade, além de indígenas da etnia Kambeba, que vieram da aldeia Três Unidos para conhecê-la. As alunas estavam com trajes e pinturas tradicionais, e com presentes, convidaram a Miss para fazer parte do projeto, que com apoio do Fundo Amazônia/BNDES e Samsung, busca formar jovens moradores de Unidades de Conservação (UC) para retratar a própria realidade por meio da educomunicação.

“Fiquei honrada com o convite. O jornalismo foi uma ferramenta que me deu a vivência e experiência necessárias para que eu tivesse uma maior desenvoltura quanto à voz e postura. Esse aprendizado que eles estão tendo de educomunicação vai ser fundamental para que possam contar suas histórias e mostrar a Amazônia para o mundo”, afirmou Mayra.

Confira galeria da visita:

Os estudantes tiveram a oportunidade de vivenciar uma oficina de assessoria de imprensa com Mayra, onde elaboraram perguntas acerca da vida da Miss na Amazônia, sua experiência como aluna universitária e profissional de jornalismo e os sonhos que a amazonense tem para o futuro. O gerente do Programa de Educação e Saúde (PES) da FAS, Anderson Mattos, aponta que a visita da Miss entrega aos Repórteres da Floresta uma nova perspectiva.

“Ouvir a Miss Brasil é uma oportunidade única que eles terão nessa jornada de repórteres em suas comunidades. Através disso, poderão produzir e disseminar tudo o que ouviram e o processo de contar histórias com o próprio olhar deles das comunidades onde vivem e estudam, assim, só se aprimora”, aponta.

Ação pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU

Junto com os estudantes, Mayra também participou de uma oficina de facilitação sobre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, compromissos assinados por 193 países com metas para erradicação da pobreza, melhoria da educação, saúde e outros até 2030. Durante a ação, a Miss fez questão de ouvir e discutir com os estudantes sobre os sonhos e ideais para uma vida melhor na comunidade.

“Os sonhos e as ideias fazem parte de transformarmos a realidade começando por agora. Muito legal saber que aqui eles já pensam em um futuro sustentável, e isso é algo que precisamos compartilhar para o mundo”, enfatizou Mayra.

Em grupos, os estudantes apresentaram ideias com o tema “Como queremos as comunidades em 2030?”, o que serviu de base para a construção de uma carta assinada pelos 20 estudantes. A estudante Odenilze Ramos, 19, participante do projeto Repórteres da Floresta, leu e entregou o documento à Mayra, que deve ser entregue a lideranças globais em sustentabilidade durante a semana do clima em Nova York, semana que vem.

“Nós jovens sabemos que podemos construir um futuro próspero e a presença da Miss Brasil por aqui mostra que podemos chegar muito longe”, comentou Odenilze.

Ao final da programação, os estudantes acompanharam Mayra Dias no plantio de uma muda de açaí, na margem da comunidade Tumbira, simbolizando tudo o que foi construído ao longo da oficina.

Confira a carta:

Carta dos jovens da Amazônia para a Agenda 2030

Ao senhor Jeffrey Sachs, chefe geral da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN) da Organização das Nações unidas.

Prezado Jeffrey,

Escrevem essa carta 19 jovens moradores das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro e Área de Proteção Ambiental do Rio Negro. Entregamos ela a você por meio de Mayra Dias, Miss Brasil como a gente, que veio da floresta.

Gostaríamos que vocês, como representantes de soluções globais, nos ajudem a ter nossas comunidades sustentáveis, que possamos ser feliz onde moramos.

Que nós possamos junto com a Rede SDSN organizar mais oficinas e rodas de conversa, para que tenhamos igualdade de gênero nas comunidades e homens, mulheres, LGBTs sejam respeitados.

Para reduzir desigualdades, no ODS 16, que as populações tradicionais tenham uma vida mais igual e justa, que vocês contribuam com soluções para diminuir a pobreza nas comunidades.

Também precisamos do seu apoio para criar um grupo de educação ambiental para discutir os efeitos das mudanças climáticas, por meio de ações de impacto. Precisamos agir urgentemente!

Nossas comunidades querem apoio para coleta decente do lixo: que em 2030 já possamos ter um sistema de tratamento do nosso lixo, com ações como o Ecobrics, que são tijolos recicláveis feitos na própria comunidade.

Em Relação ao ODS 3, de saúde, faltam postos e medicamentos nas comunidades: precisamos que nos ajudem a encontrar soluções para ter acesso digno à saúde. Em relação ao ODS de Água potável, número 6, que tenhamos acesso à àgua potável, sem precisar sair da nossa comunidade.

Em relação à Educação de Qualidade, nosso sonho para 2030 é ter pelo menos duas escolas em cada comunidade, com ensino presencial comprometido, e com o ensino mediado tecnológico que funcione.

Que tenhamos equipamentos para extração de madeira manejada, e também maior apoio para comercializar madeira legal. Queremos em 2030 energia solar para todas as comunidades ribeirinhas, como a nossa.

Nosso sonho é ter mais frutos e peixes, que vocês apoiem iniciativas para que as pessoas não destruam nossa fonte de sustento. Vamos lutar para que todos tenham consciência e mantenham nossos rios limpos. E que vocês nos ajudem a estimular o consumo consciente nas regiões onde moramos.

Por fim, precisamos de emprego digno e atividades sustentáveis como turismo, artesanato, manejo de pesca e manejo florestal.

Assinam esta carta:

Luana Melissa, Krisiane Brito, Daniele Cruz, Tharliany Monteiro, Vitória Diniz, Tailane Cruz, Eloísa Galvão, Tainara Cruz, Ana Lice Chaves, Vitória Lorena, Paulo César, Geovana Barbosa, Gaby Oliveira, Ingrid Naiany, Fernanda Mattos, Renan Castro, Taila Vagem, Ketellem Yara E Mayra Dias

Newsletter