Última Feira do Pirarucu de 2018 coloca à venda 5,5 toneladas peixe manejado do Médio-Solimões

28 de novembro de 2018 - Filés, ventrechas, mantas e carcaças serão vendidos a preços de R$ 5 a R$ 18 o quilo neste sábado (1) na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Iniciativa contribui para a pesca manejada e gera renda às famílias ribeirinhas

 
Feira acontece na sede da FAS | Foto: Bruno Kelly

A última Feira do Pirarucu realizada em 2018 por pescadores do Médio-Solimões, na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), em Manaus, acontece neste sábado, 1º de dezembro. Na ocasião serão colocadas à venda 5,5 toneladas de filés, ventrechas, mantas e carcaças de pirarucu a preços que variam de R$ 5 a R$ 18 o quilo. A iniciativa contribui para estimular a pesca de manejo no Amazonas e gera renda às famílias ribeirinhas.

Se todas as 5,5 toneladas de peixes forem vendidas nessa última feira, os pescadores do Médio-Solimões terão alcançado 36,5 toneladas de pirarucu comercializados em todas as feiras na sede da FAS em 2018. “São quase 40 toneladas. É um número muito representativo, sobretudo porque permite aos pescadores acessarem um mercado que aumenta o valor médio de faturamento das famílias”, disse Wildney Mourão, coordenador de empreendedorismo da FAS.

A última edição da Feira do Pirarucu está prevista para começar as 7h30 de sábado (1), na sede da FAS, que fica na rua Álvaro Braga, número 351, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus. Na feira, a população vai poder comprar os peixes de rio diretamente com os pescadores, sem a interferência de atravessadores ou distribuidores. O filé de pirarucu será vendido a R$ 18 o quilo, a ventrecha a R$ 14 o quilo, a manta a R$ 15 o quilo e a carcaça a R$ 5.

Atualmente, o manejo do pirarucu em Unidades de Conservação (UC) do Amazonas é uma das atividades mais importantes para o desenvolvimento sustentável e a geração de renda de comunidades ribeirinhas no Estado. Os peixes vendidos na feira são produzidos em rios e lagos situados dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, na zona rural de Fonte Boa, município a 678 quilômetros de Manaus, na região do Médio-Solimões.

“A feira é fundamental porque a gente aumenta o faturamento das famílias. Uma coisa é você buscar um mercado num município próximo, que paga um preço mais abaixo, menos justo. Quando você traz o pescador para vender em Manaus, apesar de ter um curso logístico e operacional, o resultado às famílias é muito significante”, ressaltou Wildney Mourão.

Todo o faturamento da venda dos pirarucus na feira fica com os pescadores, o que estimula o comércio justo e empoderamento comunitário. Toda ação, da pesca à comercialização, tem autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), com apoio do Programa Bolsa Floresta (BPF), por meio do Fundo Amazônia/BNDES.

Serviço

O quê: Feira do Pirarucu da FAS

Quando: sábado, 1º de dezembro, a partir das 7h30

Onde: rua Álvaro Maia, 351, bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul

Newsletter