Delegação do banco alemão KfW visita ações sustentáveis em comunidades ribeirinhas no Amazonas

16 de maio de 2019 - Iniciativas como o Programa Bolsa Floresta e empreendimentos de turismo de base comunitária, beneficiados com recursos do Fundo Amazônia, puderam ser conhecidas de perto pelo banco investidor

 
Visita do banco alemão KfW na comunidade do Tumbira | Foto: Dirce Quintino

Ações sustentáveis desenvolvidas em comunidades ribeirinhas no Amazonas, dentro de Unidades de Conservação (UC) do Estado, puderam ser conhecidas nesta quarta (15) e quinta-feira (16) pela delegação do banco alemão KfW, instituição bancária estatal da Alemanha e uma das maiores apoiadoras do Fundo Amazônia, fundo que capta doações para iniciativas de conservação ambiental e uso sustentável na Amazônia. A visita teve o objetivo de averiguar a aplicação de recursos do Fundo Amazônia em ações sustentáveis.

Uma dessas iniciativas é o Programa Bolsa Floresta (PBF), uma política pública criada e implementada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) que recompensa populações ribeirinhas e indígenas moradoras de UCs por assumirem o compromisso contra o desmatamento da floresta. O programa, que também ajuda a melhorar a qualidade de vida das populações, é desenvolvido atualmente em 16 Unidades de Conservação do Estado, com cooperação estratégica da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

Durante dois dias a comitiva de técnicos do banco KfW, formada por alemães e brasileiros, visitou duas comunidades ribeirinhas, a do Tumbira e a do Santa Helena do Inglês, situadas dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, no município de Iranduba, e onde funcionam empreendimentos turísticos gerenciados pelos próprios ribeirinhos e desenvolvidos com recursos do Bolsa Floresta (PBF), com apoio técnico da FAS.

Os empreendimentos turísticos são uma oportunidade de geração de renda alternativa à exploração não-sustentável dos recursos da floresta, como a Pousada Garrido, na comunidade Tumbira. “É extraordinário o que eles fazem aqui. Vamos voltar semana que vem para a Alemanha e ninguém vai acreditar no que vimos. Por isso gravamos tudo. Tudo o que fazem aqui é muito importante”, ponderou Joachim Nagel, um dos diretores do KfW presente na visita.

O superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, ressaltou a importância do apoio do banco alemão KfW a ações sustentáveis na Amazônia. “A FAS apoia a atividade de turismo desde o início. Quando a gente começou no turismo de base comunitária aqui só tinha a casa (pousada) do Garrido. Hoje cresceu e são três famílias, com três pousadas. Queremos fazer o turismo uma atividade importante para o futuro da região e espero que nossos visitantes, os alemães, possam levar para casa a mensagem de que aqui é um lugar especial”.

A representante do Fundo Amazônia, Angela Albernaz Skaf, também acompanhou a visita da comitiva do KfW.

Orquestra de violões

Ao final da visita da delegação do banco KfW, os turistas alemães e os próprios moradores da comunidade ribeirinha do Tumbira puderam assistir, juntos, a apresentação de um espetáculo da Orquestra de Violões do Amazonas (Ovam), como parte da programação do 22º Festival Amazonas de Ópera (FAO), promovido pelo Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

O aposentado Raimundo Antério Alves, de 72 anos, morador do Tumbira, assistiu pela primeira vez na vida a apresentação de uma orquestra. “Eu achei maravilhoso. Nasci e cresci no Tumbira e nunca tinha visto assim de perto alguém tocando esses instrumentos, foi a coisa mais linda”, disse Antério, beneficiado pelo Programa Bolsa Floresta (PBF).

Newsletter