FAS e Catie assinam termo de cooperação em prol do desenvolvimento sustentável do Amazonas

13 de junho de 2019 - Assinatura aconteceu durante o seminário “Amazônia Legal brasileira diante dos novos desafios: alternativas de desenvolvimento”, onde foram debatidas novas tecnologias para a sustentabilidade na região

 
Assinatura do documento | Foto: Macarena Mairata

Um termo de cooperação em prol do desenvolvimento sustentável do Amazonas foi assinado durante o seminário “Amazônia Legal brasileira diante dos novos desafios: alternativas de desenvolvimento”, nesta terça-feira (11), na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), em parceria com Centro Agronómico Tropical de Investigación y Enseñanza (Catie) da Costa Rica. Representantes de instituições locais do Amazonas e do Catie estiveram presentes.

O evento contou com um debate sobre disseminação de novas tecnologias para o desenvolvimento sustentável da Amazônia entre a representante do Catie, Lorena San Román, o diretor geral do órgão, Dr. Muhammad Ibrahim, a diretora de Turismo da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), Denise Bezerra, o gerente de Unidades de Conservação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Kleber Bechara, a representante do curso de Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Glaubécia Teixeira, o secretário estadual de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães, e a diretora presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Eda Maria.

Ao longo do evento as experiências da Costa Rica no campo da sustentabilidade com turismo, educação, agrosilvopastoril e com a cadeia produtiva do café, um dos principais produtos de exportação do país, foram compartilhadas como forma de disseminar o conhecimento e entender, considerando as especificidades locais, o que é viável para o desenvolvimento sustentável da região.

Devido ao histórico de preservação do meio ambiente na Costa Rica na década de 70, o governo do país tomou ações decisivas com objetivo de conservar as florestas e melhorar a qualidade de vida da população. Durante esse período, foram criados parques nacionais e houve um intenso investimento na qualidade da educação, desde o ensino infantil ao ensino superior. Com isso, a Costa Rica se tornou referência mundial em preservação, que acabou impactando de forma positiva em setores da economia, turismo e educação.

Segundo o diretor do Catie, Muhammad Ibrahim, trazer a experiência de sucesso no campo da sustentabilidade da Costa Rica para Manaus e o demais municípios do Amazonas poderá resultar em mudanças significativas em diversos setores da capital amazonense e para os demais municípios do Amazonas.

“O conhecimento que o Catie tem em mais de 50 anos de experiência no manejo e na conservação de florestas precisa ser compartilhado. E por conta da Amazônia cumprir um importante papel para frear os impactos das mudanças climáticas devidos as funções e os serviços ecológicos que ela desempenha queremos contribuir na construção de novos caminhos para um desenvolvimento que considere a preservação e conservação de todas as formas de vida”, afirmou Muhammad Ibrahim.

Ao fim do evento, um Memorando de Entendimento (MoU) foi celebrado entre a FAS e Catie com o objetivo de intensificar modelos de desenvolvimento que mantenham as florestas em pé.

Sobre o Catie

Há mais de 70 anos o Centro Agronómico Tropical de Investigación y Enseñanza (Catie) desenvolve pesquisas nos países da América Latina e Caribe, cumprindo uma importante missão por ser umas das poucas organizações especializadas em ciência e manejo de agricultura sustentável e recursos naturais do trópico com a finalidade enfrentar os desafios globais em favor do meio ambiente.

Sobre a FAS

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira não governamental, sem fins lucrativos, de utilidade pública estadual, com a missão de promover o desenvolvimento sustentável, a conservação ambiental e a melhoria da qualidade de vida das comunidades ribeirinhas no Estado do Amazonas. As principais iniciativas são implementadas por meio do Programa Bolsa Floresta (PBF), do Programa de Educação e Saúde (PES) e o Programa de Soluções Inovadoras (PSI).

Newsletter