Ministro alemão destaca iniciativas da FAS apoiadas pelo Fundo Amazônia durante visita

12 de julho de 2019 - Gerd Muller, da pasta de Cooperação Econômica da Alemanha, visitou projetos desenvolvidos pela FAS na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro nesta quinta-feira (11)

 
Comitiva esteve na comunidade Tumbira | Foto: Felipe Irnaldo

O ministro de Cooperação Econômica da Alemanha, Gerd Muller, visitou nesta quinta-feira (11) a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro e conheceu projetos desenvolvidos pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) por meio do Fundo Amazônia, que recebe recursos alemães.

A visita ocorreu na comunidade ribeirinha Tumbira, uma das 19 comunidades da RDS do Rio Negro, localizada no município de Iranduba, distante 80 quilômetros de Manaus. Durante o encontro, foram apresentadas iniciativas na área de geração de renda sustentável, por meio do turismo de base comunitária, artesanato e manejo florestal e gestão territorial.

Além da comitiva alemã, estiveram na visita o secretário estadual de Meio Ambiente (Sema), Eduardo Taveira, o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, o diretor executivo do WWF Brasil, Mauricio Voivodic, a coordenadora das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), Nara Baré, e outras lideranças indígenas e ribeirinhas.

Para o ministro Gerd Muller, o trabalho realizado pela FAS nas comunidades ribeirinhas com recursos do Fundo Amazônia contribui para a política alemã de proteção da floresta e dos povos. Muller ressaltou ainda o interesse em continuar investindo em ações para o desenvolvimento sustentável na Amazônia.

“Estou impressionado com o que estão realizando aqui. O trabalho é exemplar na proteção da floresta e na preservação dos direitos dos povos tradicionais, e este é um grande objetivo da nossa política. O Fundo Amazônia contribui muito para isso e nós queremos continuar o trabalho, talvez com alguns ajustes que possivelmente serão necessários”, destacou o ministro alemão.

Para o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana, a visita foi uma oportunidade de conhecer na prática ações de geração de renda que ajudam a manter a floresta em pé e erradicar a pobreza. “O Programa de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades tem levado ações de geração de renda e empoderamento comunitário para cerca de 40 mil pessoas em 16 Unidades de Conservação (UC), uma contribuição muito importante para erradicação da pobreza e conservação da floresta, com uma redução de 43% no desmatamento e aumento de renda de mais de 124% das famílias”, ressaltou.

O secretário de Estado de Meio Ambiente (Sema), Eduardo Taveira, salientou que a agenda no Amazonas consolida a missão iniciada com o governador Wilson Lima, em Brasília, que contou com reuniões com o governo alemão e também com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro do Meio Ambiente brasileiro, Ricardo Salles.

“A vinda do ministro consolida esta ida a Brasília, entendendo a necessidade de melhorias no Fundo Amazônia, mas deixando a mensagem de que é super importante para o Estado a parceria tanto com o governo alemão como também com o governo da Noruega, que é o maior doador do Fundo Amazônia” disse o secretário.

Mudança de realidade

O presidente da Associação de Comunidades Sustentáveis (ACS) Rio Negro, Sebastião Brito, ressaltou que a parceria entre Alemanha e Brasil é importante para fortalecimento da gestão comunitária e melhoria da qualidade de vida na RDS.

“A gente não consegue fazer nada só e precisamos destas parcerias entre as comunidades, associação e o Estado, que tem uma política pública voltada para unidades de conservação. Antes a gente trabalhava com madeira, mas era extração ilegal. Hoje temos 14 planos de manejo licenciados, pensando na sustentabilidade e nos preocupando sempre com o amanhã. As comunidades hoje tiram seu sustento da madeira, do artesanato, da pesca, do turismo e da agricultura”, disse.

O embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, afirmou que o sucesso da implementação dos projetos no Amazonas é resultado da cooperação entre Estado, comunidades, financiadores e organizações da sociedade civil. “Sabemos que faz sentido continuar com o Fundo Amazônia e continuar a cooperação por meio do Arpa”, completou.

Cooperação

O Amazonas recebe apoio da Alemanha desde 1992 com investimentos em cinco grandes projetos de fortalecimento da gestão ambiental. A parceria tem um importante impacto nas taxas de desmatamento, mantendo o Amazonas com 97% da sua cobertura vegetal intacta e garantindo que as Unidades de Conservação estaduais representem menos de 1% do total de desmatamento.

A gestão das 42 UCs estaduais recebe apoio do Programa Arpa desde 2002. Na RDS do Rio Negro e em outras 15 UCs estaduais, o governo alemão financia, por meio do Fundo Amazônia, o Programa de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades Ribeirinhas, uma política pública estadual que leva iniciativas de geração de renda e empoderamento comunitário para cerca de 39 mil pessoas. A ação é realizada pela FAS e conta com apoio do Fundo Amazônia/BNDES, Bradesco, Coca-Cola Brasil e cooperação estratégica com o Governo do Amazonas, por meio da Sema.

*Com informações de assessoria de imprensa

Newsletter