Arqueira indígena Graziela Santos disputa o bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019

8 de agosto de 2019 - A amazonense de 23 anos, “Yaci” na etnia Karapãna, agora compete na categoria Equipe Feminina no Tiro com Arco. Ela recebe apoio da FAS pelo Projeto Arquearia Indígena

 
Equipe Feminina do Tiro com Arco | Foto: Arquivo pessoal

A arqueira indígena e atleta amazonense Graziela Santos, 23, a “Yaci” na etnia Karapãna, disputará o bronze no Tiro com Arco nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, no próximo domingo (11), último dia de competições. A jovem, que recebe apoio do Projeto Arquearia Indígena, desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) junto com Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco) e a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), competirá na categoria Equipe Feminina.

Ela, que é a primeira indígena da história do País a competir na categoria do Tiro com Arco, iniciou a participação no Pan-Americano na quarta (7). Os arqueiros competiram entre si no intuito de obter o índice para a escolha dos atletas que representariam o Brasil na categoria Dupla Mista, oportunidade na qual foram selecionados o homem e a mulher com a melhor pontuação para formar a dupla. Como a Graziela não obteve o melhor resultado, acabou ficando fora da disputa por duplas.

Na semifinal por equipe, em que participou com as arqueiras Ane dos Santos e Ana Caetano, as atletas perderam o duelo para a delegação do México e, agora, disputam a medalha de bronze, contra a Colômbia. “Não atirei como eu esperava, mas seguimos adiante”, comentou a atleta, por meio de sua conta nas redes sociais. Nesta sexta-feira (9) começam as disputas individuais, sendo mais uma possibilidade de medalha para o Brasil.

Os jogos do Pan vêm sendo realizados desde 26 de julho, em Lima, no Peru. “Parabéns aos atletas e às equipes técnicas por estarem participando e fazendo história em um evento tão grandioso como este. Queremos que mais representantes do Amazonas tenham essa oportunidade”, ressaltou o secretário de Estado de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel), Caio André de Oliveira.

Arquearia Indígena

A valorização da cultura e da identidade dos povos indígenas do Amazonas é a maior meta do Projeto Arquearia Indígena. Desenvolvido desde 2013, o projeto tem parceria com o Banco Bradesco e apoio da Confederação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas (Coipam), da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), e patrocínio das Lojas Bemol, Fogás, Val Group, além de apoio da Latam, Bradesco, Accor Hotéis Centro Educacional La Salle e Faculdade La Salle, por Meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

*Com informações da assessoria de imprensa da Sejel

Newsletter