Integração entre FAS e Sistema Sepror busca fortalecer produção sustentável no Amazonas

15 de agosto de 2019 - A ideia foi realizar um planejamento tático entre as instituições visando a integração das ações, que vão desde a captação de recursos de crédito rural, assistência técnica e práticas de produção sustentável

 
Foto: Dirce Quintino

Com objetivo de debater ações sustentáveis para o desenvolvimento econômico, social e ambiental das atividades produtivas do setor rural no Amazonas, foi realizado nessa quarta-feira (14), o 1º Seminário de Integração entre o Sistema Sepror (Idam, Adaf, ADS) e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS). O evento aconteceu na sede da FAS, no bairro Parque Dez, Zona Centro Sul de Manaus.

A ideia foi realizar um planejamento tático entre as instituições visando a integração das ações, que vão desde a captação de recursos de crédito rural, assistência técnica especializada e práticas de produção sustentável que deverão ser desenvolvidas em 16 Unidades de Conservação (UCs) atendidas pela FAS. Atualmente, mais de 9,5 mil famílias vivem nas UCs que estão distribuídas em 581 comunidades.

De acordo com o secretário de Estado da Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães Junior, o Sistema Sepror visa potencializar as cadeias produtivas já existentes nas Unidades de Conservação e aproveitar o potencial econômico da região. “Precisamos trazer para a sustentabilidade o viés econômico com objetivo de garantir a quem mora nessas unidades de conservação uma atividade econômica sustentável, desenvolvendo mais as cadeias produtivas das comunidades e melhorando a qualidade de vida dos produtores rurais”, afirmou o secretário.

A diretora-presidente do Idam, a engenheira agrônoma Eda Oliva, destacou a importância das ações da FAS no contexto nacional que se refere à conservação das Unidades, apoio aos indígenas, ribeirinhos e povos da floresta. “A Fundação provocou esse seminário como forma de compartilhar com as instituições do setor primário as ações de interesse comum. No caso do Idam foram apresentados os projetos prioritários que contemplam 21 cadeias produtivas, e a interlocução da FAS com técnicos do instituto vai contribuir com o desenvolvimento dessas Unidades de Conservação, além de beneficiar diretamente o agricultor familiar e produtor rural”, destacou Eda Oliva.

Para o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, a integração entre as instituições é uma forma de otimizar recursos. “Nosso propósito é fazer com que as ações sejam feitas de maneira conjunta visando otimizar os custos de logística e assistência técnica. Vamos fazer um planejamento operacional para colocar essas ações no campo”, disse Viana.

Segundo o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, esse seminário tem importância, pois vai facilitar de que forma cada órgão vai contribuir para o desenvolvimento sustentável através das ações que já são executadas. “Vamos identificar as interfaces dos órgãos e das ações a nível de campo, para que as políticas públicas possam efetivamente chegar ao nosso público alvo. Tanto é que uma das diretrizes da Adaf é de ampliar e firmar parcerias”, comentou o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

O diretor técnico da ADS, Heitor Liberato, apresentou os programas executados pela agência para a comercialização de produtos regionais no Amazonas. Segundo ele, a produção das 16 Unidades de Conservação em pauta durante o simpósio pode ser absorvida pelos programas, pelas feiras ou pelo mercado privado, por intermédio da ADS. “Será feito um trabalho de base com essas UCs através da FAS, do Sistema Sepror com assistência e vigilância, e também nas questões de crédito. A ADS vem justamente para fechar essas ações apresentando caminhos para a comercialização desses produtos”, explicou.

Sustentabilidade

Entre as ações já desenvolvidas pelo Sistema Sepror foram apresentados, durante o seminário, os projetos de Pró-Mecanização e Pró-Calcário, que até o momento já contabilizam 203 projetos com recursos de mais 5,4 milhões. Estas políticas públicas visam contribuir para o melhor aproveitamento dos solos pelo agricultor, possibilitando maior produtividade e produção sem que seja necessária a atividade de desmatamento.

Os projetos prioritários eleitos pelo Idam para o período de 2019/2022 incluem atividades nas áreas de fruticultura, lavouras industriais, produção de grãos, agroecologia e produtos orgânicos, além de produção animal, recursos florestais madeireiros e não madeireiros. O objetivo principal é elevar a produção e produtividade das principais atividades agrícolas do Amazonas.

Newsletter