FAS é homenageada pela Câmara Municipal de Manaus por atuar a favor da Amazônia

12 de setembro de 2019 - Proposta pelo vereador Elias Emanuel (PSDB), a Medalha de Ouro Cidade de Manaus foi entregue ao superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, que dedicou às comunidades ribeirinhas e indígenas e às ONGs do país

 
A homenagem aconteceu na sede da Câmara Municipal | Foto: Diego Gonçalves

Os mais de 11 anos de atuação da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) a favor da conservação ambiental, do desenvolvimento sustentável e da melhoria de qualidade de vida de populações ribeirinhas e indígenas que vivem em Unidades de Conservação (UC) do Estado rendeu hoje, quinta-feira (12), uma homenagem à organização não-governamental feita pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), na sede do Poder Legislativo, em Manaus.

Proposta pelo vereador Elias Emanuel (PSDB), a Medalha de Ouro Cidade de Manaus foi entregue à pessoa do superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana. “Essa não é uma homenagem a mim e ou à somente FAS, mas às comunidades ribeirinhas e indígenas, às universidade e instituições parceiras e a todas as ONGs que atuam não só na Amazônia, mas em todo o Brasil, e, claramente, à nossa equipe de funcionários que faz tudo isso possível”, ressaltou Virgílio Viana.

A homenagem foi acompanhada por funcionários e colaboradores da FAS e figuras importantes para a instituição, como o secretário de Estado de Meio Ambiente (Sema), Eduardo Taveira, que é ex-superintendente técnico da FAS; o vice-reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleto Leal; e o vice-presidente do Conselho de Administração da FAS, Neliton Marques, representando a Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O autor da homenagem, o vereador Elias Emanuel, citou diversas ações da FAS e falou sobre a Amazônia. “Não podemos olhar para Amazônia como um templo sagrado e intocável. É linda a magnitude da nossa fauna, flora, das nossas águas, mas temos que olhá-la a partir da ótica dos seus povos primitivos, ribeirinhos e daqueles que chegaram aqui para fazer da região um nome na indústria e na conservação da floresta. Aa FAS é resultado disso, é um patrimônio de Manaus que se espalha pelo Amazonas e pela Amazônia”, concluiu.

O vereador Gedeão Amorim, que subscreveu a outorga da medalha à FAS, falou da importância da atuação da FAS nas Unidades de Conservação. “A Câmara Municipal de Manaus representa o eco da população. Nós ousamos homenagear o professor Virgílio e a FAS por consequência ao reconhecimento do que estão fazendo, que é absolutamente importante e essencial para o meio ambiente e para a nossa Amazônia”, disse o parlamentar.

O secretário de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, ex-superintendente técnico da FAS, citou os funcionários da ONG. “A força da FAS se dá pelas ideias, pela generosidade do professor Virgílio e pela abnegação e compromisso dessa equipe. O espirito da FAS só é possível porque é encarnado por essas pessoas que voluntariamente, não só por causa de um salário, têm um compromisso legítimo e genuíno de entregar resultados para melhoria de qualidade de vida das pessoas da região”, disse.

Já o vice-reitor da UEA, Cleto Leal, relembrou da importância das parcerias entre a universidade e a FAS para levar educação às populações ribeirinhas e indígenas do interior. “A educação nesse Estado não é barata. O desenvolvimento desse estado passa pela Educação, e é preciso recursos necessários e profissionais qualificados. A FAS é um dos elementos que faz essa transformação acontecer”.

O vice-presidente do Conselho de Administração da FAS, Neliton Marques, que também representava a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), falou da honra em participar como membro da organização. “Tive a honra de participar da gênese da FAS e hoje tenho extrema alegria e satisfação de estar testemunhando esse momento de reconhecimento público por toda a trajetória e atuação. A FAS vai deixando a sua marca”, disse.

Sobre a FAS

Nos mais de 11 anos de atuação em Unidades de Conservação com ações de conservação ambiental, desenvolvimento sustentável e melhoria de qualidade de vida de populações, a FAS alcançou uma redução de 63% no índice de desmatamento nessas regiões e um aumento de 244% na renda média de famílias ribeirinhas e indígenas. As ações recebem cooperação estratégica da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e apoio do Fundo Amazônia, Samsung, Bradesco e Coca-Cola Brasil.

Newsletter