Jovem ribeirinha apoiada pela FAS terá documentário exibido em evento da ONU em NY

17 de setembro de 2019 - Nascida na RDS Rio Negro e beneficiada com diversas ações promovidas pela FAS, Odenilze Ramos, de apenas 22 anos, assina o filme “Cipó de Jabuti”, com histórias de comunidades da Amazônia

 
Odenilze Ramos recebe apoio da FAS | Foto: Divulgação

Nascida na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, em Iranduba, no Amazonas, a jovem liderança ribeirinha Odenilze Ramos, de apenas 22 anos, terá um documentário produzido por ela sendo exibido para chefes de Estado na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York. O filme, chamado “Cipó de Jabuti”, narra histórias das comunidades da Amazônia e é fruto do trabalho da jovem em parceria com mais dois coautores. Ela recebe apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

Estudante de Gestão Pública, ativista socioambiental e integrante do Projeto Jovens Protagonistas, implementado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) na RDS do Rio Negro, Odenilze esteve envolvida no processo de apoio à elaboração do roteiro do curta-metragem. Por ela ser amazônida, usou a própria história de criação em sua comunidade para apresentar a Amazônia por meio do olhar da sua gente, trazendo as pessoas e histórias de ribeirinhos como parte fundamental da floresta.

O documentário assinado por ela é um dos nove projetos selecionados para serem exibidos na ONU. “Eu falo da Amazônia como não sendo somente uma causa, e sim como minha casa. O documentário surgiu a partir de um incômodo da minha parte de ver que existe muita gente falando de uma Amazônia que nem sempre é real, e da visão restrita da floresta como sendo só a maior floresta tropical do mundo e esquecendo a principal parte: as pessoas. Queremos contar a história da gente daqui, pessoas da Amazônia falando sobre a Amazônia”, contou a ativista ambiental.

Documentário

Lançado no dia 12 de agosto, o minidocumentário em realidade virtual “Cipó de Jabuti” foi gravado no coração da Floresta Amazônica, dentro da RDS do Rio Negro, uma das 42 Unidades de Conservação (UC) gerenciadas pela Sema e uma das 16 UCs onde a FAS promove ações de conservação ambiental, desenvolvimento sustentável e melhoria de qualidade de vida de populações. A história do curta-metragem narra o cotidiano das comunidades ribeirinhas do Rio Negro, enfatizando como a população local garante um bem-viver entre as pessoas e o ecossistema ao redor delas.

O minidocumentário aborda os temas de sustentabilidade, redução de desigualdades e conservação de tradições regionais. É um trabalho cuja coautoria é compartilhada entre Odenilze Ramos, Rafael Bittencourt e Guilherme Novak, em parceria com membros da Comunidade Global Shapers de todo o Brasil.

Liderança jovem ribeirinha

Com apenas 22 anos, a jovem Odenilze Ramos nasceu e cresceu na comunidade Carão, na RDS do Rio Negro, e, desde a adolescência, participa de projetos de empoderamento comunitário e formação de lideranças jovens na floresta, como os desenvolvidos pela FAS, entre eles Repórteres da Floresta, Intercâmbio de Saberes, Incenturita, Escolas D’Água, Jornada Amazônia, Jovens Indígenas, Agroflorestal, Encontro de Empreendedoras Indígenas, Encontro do Instituto Liberta, Amazon Summer School, Workcamp e Pagamento por Serviços Ambientais (PSA).

Atualmente, Odenilze é uma das mobilizadoras do Projeto Jovens Protagonistas, implementado na RDS do Rio Negro pela Sema, com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

Em um dos seus mais recentes projetos, ela e outros jovens moradores da Unidade de Conservação criaram um manifesto que deu origem ao movimento “Somos Filhos da Floresta”, com objetivo de falar da relação entre a exploração e a desigualdade social na Amazônia a partir da ótica de quem mora e conhece a realidade local. O movimento “Somos Filhos da Floresta” se originou durante a participação de Odenilze e de outros jovens ribeirinhos no evento Intercâmbio de Saberes.

Vaquinha online

Para representar a Amazônia pessoalmente na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, uma vaquinha online foi criada para arrecadar fundos para custear a viagem internacional. A meta é angariar R$ 7 mil. O link para doação é https://www.vakinha.com.br/vaquinha/odenaonu.

*Com informações da assessoria de imprensa da Sema

Newsletter