FAS recebe Prêmio Unesco-Japão em Educação para o Desenvolvimento Sustentável

18 de novembro de 2019 - Cerimônia aconteceu em Paris, na França, na sede da Unesco. Há mais de 11 anos atua na conservação ambiental e valorização dos povos da floresta, a FAS é a primeira organização brasileira e sul-americana da história a receber a premiação

 
Foto: Divulgação/Unesco

Emoção e orgulho marcaram a cerimônia de entrega do Prêmio Unesco-Japão de Educação para o Desenvolvimento Sustentável, o ESD Prize, concedido à Fundação Amazonas Sustentável (FAS) nesta sexta-feira (15) na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris, na França, durante a Conferência Geral do órgão. Atuando há mais de 11 anos atua pela conservação ambiental e valorização dos povos da floresta, a fundação é a primeira organização brasileira e sul-americana da história a receber o prêmio.

Tal premiação é concedida a soluções inovadoras de todo o mundo capazes de transformar a realidade do meio ambiente, da economia e da sociedade através do desenvolvimento sustentável. A FAS alcançou tal reconhecimento com um projeto sobre em educação para o desenvolvimento sustentável comunidades tradicionais, remotas ou não, na Amazônia. Além dela, outras duas iniciativas globais também foram premiadas, uma da Camphill Community Trust, de Botsuana, com educação para a vida e o trabalho, e da Hamburg, na Alemanha, com ações para combater as mudanças climáticas.

“Esse prêmio tem uma força enorme. É algo que nos enche de força para perseverar no caminho que estamos construindo há 11 anos, que é fruto de muita dedicação, em especial de todos os colaboradores da FAS e de todos os parceiros que fazem parte do nosso ecossistema”, ressaltou o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, durante cerimônia de entrega do prêmio.

Ao lado dele na estava a superintendente de Desenvolvimento Sustentável da FAS, Valcleia Solidade. “O prêmio representa primeiro o comprometimento de uma equipe, um trabalho focado e voltado para a realidade das comunidades. A FAS sempre acreditou nas pessoas que vivem na floresta e essas pessoas viram nisso uma oportunidade de melhorar suas condições econômicas, sociais e ambientais e sabem que o caminho é o conhecimento, que somente o conhecimento vai poder fazer com elas tenham clareza do seu papel e possam garantir para futuras gerações um meio ambiente mais sustentável, entendendo que a conservação ambiental é o caminho”, disse.

Também acompanharam a cerimônia de entrega do prêmio a diretora da Unesco no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, e a coordenadora do Programa de Educação da Unesco no Brasil, Maria Rebeca Otero Gomes. Ao todo, 115 projetos de 63 países concorreram ao prêmio, a FAS e cada um dos vencedores receberão um prêmio de US$ 50 mil financiados pelo Governo do Japão.

Educação

A premiação à FAS só foi possível por iniciativas que vêm sendo desenvolvidas há 11 anos em 581 comunidades tradicionais do Amazonas, situadas em 16 Unidades de Conservação, uma área equivalente a 10,9 milhões de hectares de terra. São iniciativas de educação ambiental, educação para gestão de recursos naturais, para geração de renda, empoderamento comunitário, educação financeira, gestão de água e lixo, incentivo à leitura e à escrita, iniciação científica, esporte, música, teatro, dança, empreendedorismo, educomunicação e formação de professores.

Essas ações, que beneficiam 39 mil pessoas em todo o Estado, dentro dos Núcleos de Conservação e Sustentabilidade (NCS), uma mini sede da FAS no meio da floresta, foram promovidas com apoio de parceiros como Bradesco, Samsung, Fundo Amazônia/BNDES, Lojas Americanas, Petrobras, Coca-Cola, o Governo do Estado, pelas secretarias de Meio Ambiente (Sema), Educação (Seduc), Cultura (SEC), Produção Rural (Sepror), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o Centro de Educação Tecnológica (Cetam) e prefeituras municipais.

De 2016 a 2019, mais 340 cursos e formações foram desenvolvidas nesses espaços e só neste ano, de janeiro a setembro, mais de 750 alunos estavam matriculados participando de atividades de educação nos NCS. As comunidades beneficiadas abrangem 27 municípios: Anori, Barcelos, Beruri, Borba, Carauari, Coari, Codajás, Eirunepé, Fonte Boa, Ipixuna, Iranduba, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaus, Manicoré, Maraã, Maués, Novo Airão, Novo Aripuanã, Presidente Figueiredo, S. Sebastião do Uatumã, Tapauá, Tefé, Tonantins e Uarini.

Resultados

Nos últimos 11 anos de atuação, os investimentos em educação oriundos da cooperação internacional e financiamento de empresas parceiras fizeram a FAS alcançar resultados extremamente positivos, como redução do desmatamento e da pobreza, reforçando a tendência de que a conservação ambiental está proporcionalmente ligada à melhoria da qualidade de vida dos povos da floresta.

Em dez anos, entre 2008 e 2018, as taxas de desmatamento diminuíram 76% nas áreas onde a FAS levava os projetos de educação, conforme dados do Inpe/Prodes, e o número de focos de calor nessas Unidades de Conservação (UC), entre janeiro e agosto deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado, também caiu 33%, também conforme o Prodes. A renda média mensal per capita nas UCs aumentou 202%.

“É um sentimento de gratidão profunda a todos e um privilégio enorme estar fazendo parte da história capaz de mudar a vida de pessoas e contribuir para a proteção desse patrimônio tão importante que é a Amazônia, para o futuro nosso e do Planeta”, finalizou Virgílio Viana.

Bradesco

O Bradesco é um dos co-fundadores da FAS. Desde 2008 tem feito aportes em caráter institucional que permeiam todos os programas e projetos com destaque para geração de renda, infraestrutura comunitária, apoio a políticas públicas, capacitação de lideranças além de implementação e gestão estratégica da instituição. Desde 2010, atua também na vertente de inclusão e educação financeira com postos do Bradesco Expresso em três UCs e um programa de capacitação cocriado junto às lideranças comunitárias.

Samsung

A Samsung é parceria da Fundação Amazonas Sustentável desde 2010 quando iniciou apoio na construção e operação do Núcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Assy Manana, na comunidade Três Unidos, na APA do Rio Negro, onde fica a Escola Samsung. A partir de 2014 se tornou mantenedora do programa de educação com aportes que permeiam suporte na operação de sete NCS e programas complementares, entre eles o Repórteres da Floresta e a capacitação para práticas agroecológicas.

Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia é um mecanismo internacional de financiamento climático baseado no conceito de pagamento por resultados obtidos na redução das emissões de gases de efeito estufa provenientes do desmatamento. Criado em 2008 com objetivo central de promover projetos para a prevenção e o combate ao desmatamento e para a conservação e o uso sustentável das florestas no bioma amazônico, ele é um dos principais mantenedores das ações da FAS, com recursos aplicados por financiamentos não reembolsáveis geridos pelo BNDES.

Lojas Americanas

A Lojas Americanas S.A. é parceira da FAS desde 2018 com apoio a projetos de educação nos NCS, como acesso à internet e informática, educação ambiental, gestão de resíduos sólidos, capacitação empreendedora e formação de professores, por meio de parceria com secretarias de educação. Adicionalmente, a B2W Digital, o grupo da qual a Lojas Americanas pertence, também apoia a FAS na manutenção da loja virtual Jirau da Amazônia, no marketplace da LASA, com venda artesanatos das comunidades ribeirinhas e indígenas.

Petrobras

A Petrobras é parceira da FAS desde 2018 com projetos voltados em educação profissionalizante, técnicas de produção sustentável, empreendedorismo jovem e formação continuada dos professores do ensino multisseriado em áreas remotas da Amazônia. O projeto atua na melhoria da infraestrutura educacional do Núcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Márcio Ayres, na comunidade Punã, na RDS Mamirauá.

Newsletter