O Bolsa Floresta Familiar é uma política pUblica estadual instituída pelo Governo do Amazonas em 2007. Sua criação foi um marco histórico de grande relevância tanto na escala nacional quanto internacional na promoção do desenvolvimento sustentável.

A instituição do Bolsa Floresta Familiar se deu por intermédio da Lei 3.135, sobre Mudanças Climáticas, Conservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, e da Lei Complementar 53, sobre o Sistema Estadual de Unidades de Conservação (Seuc), ambas promulgadas em 5 de junho de 2007. Essas leias tiveram forte caráter de inovação e respaldam um ambiente jurídico na legislação estadual, que permita a estruturação da economia dos serviços e produtos ambientais de origem florestal e o alcance da justiça social com conservação ambiental.

A implementação do Bolsa Floresta familiar foi iniciada pela então Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), em setembro de 2007, e passou a ser realizada pela FAS a partir de março de 2008. O PBF atua por meio de quatro componentes: Renda, Social, Familiar e Associação. A partir do engajamento das famílias dentro e no entorno de unidades de conservação estaduais, os componentes lhes asseguram ganhos diretos, benefícios sociais em nível comunitário, apoio ao associativismo, atividades de produção e geração de renda sustentável.

A adesão voluntária ao programa requer: a participação em oficinas, capacitação em mudanças climáticas e serviços ambientais; a não abertura de novas áreas de roçado em áreas de florestas primárias; e o ingresso ou permanência dos filhos na escola. O programa visa apoiar e potencializar respostas às demandas sociais e econômicas das populações ribeirinhas das UCs estaduais do Amazonas. A visão estratégica é melhorar a qualidade de vida por meio da valorização da floresta em pé.

Principais parceiros

FAS lança websérie ‘Soluções para Sustentabilidade’ sobre cadeias produtivas na Amazônia

A cada 15 dias, conteúdos multimídia sobre farinha, cacau, castanha, pirarucu, açaí, turismo, guaraná, óleos vegetais e manejo de madeira serão lançados nas redes sociais e site da instituição

‘Farinha de Uarini’ produzida por ribeirinhos passa a ser vendida com selo Origens Brasil

Cultivada por comunitários da RDS Mamirauá, entre os municípios de Uarini e Alvarães, a farinha “A Ribeirinha” agora circula com o selo nacional de garantia de origem florestal

Duas toneladas de tambaqui manejado são colocadas à venda neste fim de semana na FAS

Pescadores da região do Médio-Solimões vêm até Manaus comercializar o pescado a preços que variam de R$ 9 a R$ 17 o quilo. A venda incentiva o manejo do peixe e gera renda às famílias ribeirinhas

Diálogo entre ribeirinhos e poder público é principal resultado do XXII Encontro de Lideranças

Evento que reuniu líderes de comunidades das UCs do Amazonas proporcionou debates, palestras e capacitações com objetivo de aprimorar o Programa Bolsa Floresta, melhorar a qualidade de vida das populações e diminuir o desmatamento nessas regiões

Papo Sustentável debate soluções para levar água potável a comunidades ribeirinhas do Amazonas

Iniciativas inovadoras como o projeto Água+Acesso, desenvolvido pela FAS, Instituto Coca-Cola, WTT e Fundação Avina, e a distribuição de sachês purificadores de água da P&G, foram exemplos de soluções

Políticas públicas para o meio ambiente são discutidas em encontro com líderes ribeirinhos

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apresentou temas como Cadastro Ambiental Rural (CAR), manejo e concessão florestal nas UCs, e também ministrou uma oficina participativa para criação do Plano Estadual de Recursos Hídricos

Newsletter