Grupos de Aprendizado

A FAS acredita que organizações eficientes utilizam e compartilham conhecimentos e experiências, buscando interagir com seus am­bientes e interlocutores, transformando expe­riências em lições aprendidas e identificando soluções para o desenvolvimento sustentável que sejam adaptadas às diferentes realidades de atuação.

A postura voltada para a aprendizagem contínua é um dos valores da FAS e é praticada no relacionamento institucional, desenvolvimento de parcerias, adoção de processos participativos de planejamento e acompanhamento de programas e projetos, entre outros. E isto é refletido nos muitos espaços de discussão e interação que são criados com a finalidade de aproximação com o público beneficiário, parceiros e a sociedade. Juntamente com várias instituições parceiras e para tratar de aprendizados específicos sobre cadeias produtivas e outros temas de grande relevância para sustentabilidade, a FAS tem organizado e participado de grupos de estudos temáticos.

O Grupo de Trabalho de Fauna e Flora é uma dessas iniciativas. Envolve voluntariamente pesquisadores e representantes de instituições como a Fundação Biodiversitas, Amazônia para Sempre, Insituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). O grupo tem realizado, de maneira ativa, ações de captação e gestão para o projeto Pró-Espécies.

O Grupo de Estudo em Manejo Florestal (GEMF) foi criado com o objetivo de mobilizar o seg­mento florestal no Amazonas para a adoção de estratégias integradas que visem o aprimo­ramento de políticas públicas e parcerias entre organizações não-governamentais, empresas e instituições de pesquisa no Amazonas.

Em 2017, o Grupo também realizou um Workshop envolvendo diversos atores sobre a temática em Manaus, que resultou na formulação de cartas destinadas às principais instituições federais e estaduais responsáveis pelo processo de licenciamento de planos de manejo e tributações fiscais. A simplificação desses processos para os manejadores de pequena escala é o principal pleito defendido pelo grupo, que é constituído voluntariamente por pesquisadores e técnicos com grande experiência na área, representantes de universidades, instituições de governo e não-governamentais, empresas e entidades de classe.

Outro tema ativo é a participação nas discus­sões em torno dos padrões para certificação do manejo florestal praticado por comunidades tradicionais e indígenas, promovida pelo FSC e em processo de consulta mundial.

Newsletter