O estudo está em fase de conclusão e é uma das ações da Aliança dos povos indígenas e populações tradicionais e organizações parceiras do Amazonas para o enfrentamento do coronavírus

A pandemia de Covid-19 tem mostrado a importância da comunidade científica e de uma de suas ferramentas, a estatística, como aliadas na análise da situação epidemiológica em várias partes do mundo. A quarentena e o isolamento social, medidas preventivas adotadas por vários países para conter a propagação da doença, segundo estudo estatístico da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), podem estar sendo eficazes na contingência dos casos de Covid-19 no estado. 

Inspirado nas análises feitas pelo cientista de dados brasileiro Maurício Feó, que mostram os casos de incidência da Covid-19 no Brasil e buscam explicar sua rápida propagação e a eficácia da quarentena, o estatístico da FAS, Rodrigo Silva, responsável pelo estudo, viu a necessidade de examinar as altas taxas de incidência da doença no estado do Amazonas e entender o quanto a quarentena pode ter contribuído para a redução de contágio e do quão mais grave a situação no Amazonas estaria caso a quarentena e o isolamento social  não tivessem sido adotadas como medidas preventivas.

“Se não fossem essas medidas, a situação no estado poderia estar muito pior. Como já foi comprovado por outros estudos, a quarentena e o isolamento social abrandam a disseminação da doença. No primeiro olhar ao gráfico, parece que o crescimento dos casos é apenas de forma exponencial, mas quando analisamos os números, é possível identificar que o crescimento em algumas datas é menos desacelerado do que em outras. O que pode explicar essa alteração são as medidas preventivas.”, explicou.

Após se debruçar na pesquisa dos dados, o estatístico compilou gráficos e os disponibilizou por meio da plataforma Power BI, onde é possível ver os números de casos confirmados e óbitos por data em escalas linear e logarítmica e projeções por meio de curvas exponenciais desde o primeiro caso registrado no Amazonas, em Manaus, no dia 13 de março.

Os dados do estudo têm como fonte o Ministério da Saúde e a plataforma colaborativa Brasil.io e são atualizados diariamente. O projeto está em fase de conclusão e assim que concluso, será disponibilizado no site https://fas-amazonas.org/. Além dos casos no Amazonas, Rodrigo tem trabalhado na compilação de gráficos com um recorte da situação epidemiológica de Manaus. 

O estatístico vê que esses números podem contribuir na tomada de decisões dos governantes locais e em como reagir a futuros cenários.   

“A situação em que estamos mostra o quão importante é a ciência para trazer soluções para a crise que estamos vivendo. Acredito que neste contexto, a estatística cumpre um papel fundamental para ajudar os governantes a criar estratégias de como enfrentar essa doença e de quando teremos o achatamento da curva dessa pandemia no estado, que infelizmente, está acontecendo de forma lenta”, afirma.

Aliança dos povos indígenas e populações tradicionais e organizações parceiras do Amazonas para o enfrentamento do coronavírus

A “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus” é liderada pela pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e conta com o envolvimento de 49 instituições públicas e da sociedade civil para ações de prevenção ao Coronavírus junto a 19 mil famílias, e você também pode fazer parte.