Category

Notícias

Virada Sustentável Manaus lança edital para inscrição de atividades

Maior festival de sustentabilidade da América Latina, a Virada Sustentável Manaus 2020 está com inscrições abertas para sua sexta edição, […]

Maior festival de sustentabilidade da América Latina, a Virada Sustentável Manaus 2020 está com inscrições abertas para sua sexta edição, que ocorrerá entre os dias 22 e 26 de julho. A mobilização, que em Manaus é correalizada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), busca projetos de transformação e impacto social com o objetivo de apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população. O edital está disponível no site https://www.viradasustentavel.org.br/programacao/virada-sustentavel-manaus-2020/edital.

As inscrições são voltadas para artistas, organizações da sociedade civil, órgãos públicos, coletivos de cultura, movimentos sociais, equipamentos culturais, empresas, escolas, universidades e qualquer pessoa que tenha interesse em realizar uma atividade dentro da programação do festival.

O conteúdo da ação deve ser relacionado a pelo menos um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), tais como: igualdade de gênero, saúde e bem-estar, consumo e produção responsáveis, educação de qualidade, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis e erradicação da pobreza.

A proposta é que na sexta edição da Virada Sustentável Manaus mais pessoas façam parte desta grande mobilização pela sustentabilidade, conforme explica a coordenadora do festival, Paula Gabriel.

“A Virada Sustentável Manaus é um festival que engaja pessoas e organizações em busca da Manaus dos sonhos. Através de atividades inspiradoras e de diferentes temáticas, onde todos somos parte desta grande transformação positiva que queremos ver no mundo. O festival busca difundir e ampliar a informação sobre o tema, utilizando arte e atividades lúdicas como ferramentas, inspirando as pessoas para uma ‘virada’ de consciência”, afirma.

Entre os exemplos de atividades que podem ser inscritas na programação, estão oficinas para todas as idades, shows musicais, apresentações de teatro e dança, exposições fotográficas, intervenções de grafite, contação de histórias, mutirões de limpeza, distribuição e plantio de mudas de árvores, entre outras. O festival também possui um Circuito Zen, com yoga, meditação, terapias holísticas, medicina indígena e outras frentes terapêuticas.

Na edição de 2019, aproximadamente 25 mil pessoas participaram das mais de 160 atividades gratuitas realizadas com a colaboração de aproximadamente 350 voluntários. Ao todo, 22 pontos da cidade, entre parques, feiras, museus, terminais de ônibus, escolas, espaços culturais, praças e ruas, foram ocupados pelas ações.

As inscrições para o festival deste ano ficarão abertas de 28 de fevereiro até o dia 12 de abril. O processo de seleção das atividades aborda três quesitos principais: relevância e atratividade do conteúdo para o público, aderência à proposta da Virada Sustentável e capacidade de atendimento pela organização, em relação às necessidades técnicas dos projetos.

Não há limite de número de inscrições de atividades por parte dos proponentes. Ao final da seleção, todos receberão via e-mail indicado no ato da inscrição uma notificação sobre o seu resultado no edital. As atividades pré-selecionadas serão convocadas para os “plantões” que acontecerão na sede da FAS.

A Virada

A Virada Sustentável é um movimento de mobilização para a sustentabilidade que organiza o maior festival sobre o tema no Brasil. Começou em 2011, em São Paulo, e se estendeu para outras cidades, como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, entre outras.

Em Manaus, o festival é uma correalização do Instituto Virada Sustentável e Fundação Amazonas Sustentável (FAS), com apoio de um Conselho Criativo formado por mais de 50 organizações da sociedade civil que trabalham com ações educativas e socioculturais em prol da promoção de práticas saudáveis e sustentáveis na cidade.

FAS é a única instituição brasileira concorrendo ao ‘100&Change’ da Fundação MacArthur

Fundação concorreu com outras 755 instituições de 85 países

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é a única instituição brasileira entre as 100 selecionadas pelo edital ‘100&Change’ da Fundação MacArthur, que tem sede nos Estados Unidos. Se premiada, a fundação poderá captar 100 milhões de dólares para financiar uma proposta ousada que se comprometa com progressos reais na resolução de um problema atual.

Pelo ranking divulgado hoje, 100 instituições de 85 países concorrem ao edital. O anúncio feito nesta quarta-feira (19) foi recebido pela FAS com orgulho. É um importante reconhecimento pelos trabalhos desenvolvidos e implementados em prol do desenvolvimento sustentável da Amazônia e da melhoria da qualidade de vida dos povos da floresta.

“O fato de estarmos entre os 100 finalistas já é um reconhecimento significativo. Nós gostaríamos de compartilhar esse resultado com nossos beneficiários, parceiros e toda a equipe da FAS. Caso a FAS ganhe esse recurso, será destinado a ampliação das atividades que já desenvolve em diferentes áreas juntos às comunidades ribeirinhas do Amazonas. E será uma forma de contribuição ao enfrentamento da crise climática global”, afirmou o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana.

Desenvolvimento sustentável em ação

A “Amazônia é importante demais para entrar num colapso ecológico”, essa foi a proposta apresentada pela FAS ao edital que visa mobilizar as instituições da Amazônia e grupos populares para que a tecnologia integrada “social e ambiental” da instituição seja implementada nos países amazônicos. A tecnologia deve criar um mecanismo financeiro inovador com uma plataforma de aprendizagem e política com múltiplos atores que catalisem uma economia amazônica sustentável, a chamada ‘bioeconomia’ – com novas pequenas empresas e governança econômica inspirando mudanças tanto a nível regional como global.

Desde sua criação, a FAS desenvolve projetos em 581 comunidades do Amazonas, das 16 Unidades de Conservação (UC), promovendo a geração de renda sustentável e a melhoria na qualidade de vida das comunidades como estratégia efetiva de manter a floresta em pé e sua biodiversidade viva, beneficiando 40 mil pessoas.

Entre 2008 e 2019, na área de atuação da FAS o desmatamento foi reduzido em 76% e o nível de renda subiu 202%. No último ano, enquanto as queimadas aumentaram 91% na Amazônia entre janeiro e agosto, houve um decréscimo de 33% onde a instituição desenvolve ações em prol da Floresta em Pé e daqueles que cuidam das florestas.

Sobre o 100&CHANGE

100 & Change é uma competição distinta aberta a organizações e colaborações que trabalham em qualquer campo, em qualquer lugar do mundo. As propostas devem identificar um problema e oferecer uma solução que realize mudanças significativas e duráveis.

A segunda rodada da competição teve um começo promissor: 3.690 inscritos apresentaram 755 propostas. Desses, 475 passaram por uma revisão administrativa inicial. O 100 & Change foi projetado para ser justo, aberto e transparente. A identidade dos juízes e a metodologia usada para avaliar as propostas iniciais são públicas. Os candidatos receberam comentários e feedback dos colegas, juízes e revisores técnicos.

Fundação Amazonas Sustentável (FAS) oferece oportunidades para consultor, celetistas e estagiários

 As oportunidades são para a Coordenadoria de Comunicação, Recursos Humanos e para o Programa Floresta em pé. As inscrições vão até quinta-feira (20)

Estão abertas as inscrições para o processo de seleção de seis vagas na Fundação Amazonas Sustentável (FAS), são elas: assistente de marketing digital e dois estagiários, um de audiovisual e um de administração para a Coordenadoria de Comunicação. Um estagiário para a área de Recursos Humanos, um assistente de dados e um consultor para apoiar o Programa Floresta em Pé. As inscrições devem ser encaminhadas para o e-mail rh@fas-amazonas.org até quinta-feira (20). Confira a seguir os editais de cada uma das oportunidades:

 

Coordenadoria de Comunicação:

Assistente de Marketing Digital (CLT)

Estagiário (a) de Audiovisual

Estagiário (a) de Administração

 

Programa Floresta em Pé:

Assistente de dados (CLT)

Consultor(a) em serviços de Tabulação de dados

 

Recursos Humanos:

Estagiário (a) de RH

Manaus sedia pela primeira vez o encontro da Aliança Água + Acesso

A iniciativa reúne diversas instituições que se comprometem a levar o acesso à água potável para comunidades de todo Brasil […]

A iniciativa reúne diversas instituições que se comprometem a levar o acesso à água potável para comunidades de todo Brasil

Anualmente, as 15 organizações que integram a Aliança Água + Acesso avaliam o andamento dos projetos desenvolvidos e realizam o planejamento estratégico anual onde compartilham as experiências vistas nas regiões onde os projetos são desenvolvidos. O terceiro encontro da iniciativa reuniu em Manaus, parceiros, apoiadores e financiadores nesta quinta-feira (13), na sede da Fundação Amazonas Sustentável.

O direito básico à água que esteja nos padrões de potabilidade ainda não é possível para as pessoas que vivem fora das grandes cidades, entretanto, por meio do programa o acesso à água potável tem chegado às comunidades rurais de todo o Brasil. Somente no Amazonas, desde 2018, a iniciativa Aliança Água + Acesso levou o acesso à água potável para 30 comunidades ribeirinhas em nove municípios por meio da parceria a FAS e Instituto Coca-cola, beneficiando 3.733 pessoas.

Segundo a coordenadora do programa Água + Acesso, Valcleia Solidade, superintendente de Desenvolvimento Sustentável da FAS, o encontro permite a troca de conhecimento sobre as dificuldades que existem nas mais diversas realidades existentes no Brasil e a partir disso, avaliar a atuação das instituições enquanto aliança e os desafios que cada organização enfrenta.

“As ações que se aplicam à realidade Amazônica, diferem do que se aplica à realidade vista no nordeste. Por isso, ter esse momento de nos reunir para entender as especificidades dos diferentes lugares do Brasil, é muito importante para melhorar e aprimorar nossas ações. Este encontro é fundamental e rico para o fortalecimento da Aliança e para a entrega de melhores resultado das ações realizadas pelos projetos”, explicou.

O gerente de operações da WTT (instituição que integra a aliança), André Wongtschowski, explica que o encontro da aliança serve para, além de planejar, prestar contas do que já foi implementado, apresentar novos projetos a serem realizados com novas tecnologias e discutir a governança para avaliar alocação de recursos desses projetos.

“Nestes encontros nós visitamos os projetos já implementados e aproveitamos para conversar com os comunitários e líderes para melhorar o modelo de gestão comunitária da água, gerida por eles. Com o feedback deles, que estão na ponta, pensamos em novas soluções para os desafios do acesso à água”.

O próximo encontro da aliança será realizada em fevereiro de 2021, ainda sem local definido.

Iniciativa Aliança Água + Acesso

Desde 2017, a iniciativa Aliança Água + Acesso reúne empresas, institutos e organizações da sociedade civil para implementarem projetos que levem o acesso à água segura e de forma sustentável em áreas e comunidades rurais de todo o Brasil.

A aliança é formada pelo Instituto Coca-Cola Brasil, Fundação Avina, World-Transforming Technologies – WTT, Instituto Iguá, Trata Brasil, Cáritas Diocesana, Fundação Amazonas Sustentável – FAS, Central de Associações Comunitárias para Manutenção dos Sistemas de Saneamento de Seabra, Sistema Integrado de Saneamento Rural – Sisar, Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD, Saúde e Alegria, Associação dos Produtores Rurais de Carauari – Asproc, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) de diferentes setores que atuam com projetos e iniciativas integradas em torno de três grandes frentes: infraestrutura para o acesso e tratamento, modelos de gestão comunitária da água e integração e fortalecimento do ecossistema.

Ao todo 200 comunidades foram impactadas e 77 mil beneficiados em todo o Brasil.

Inscrições abertas para a seleção de consultores e celetista na Fundação Amazonas Sustentável (FAS)

Estão abertas as inscrições para o processo de seleção de cinco consultores para o Programa de Soluções Inovadores da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e um celetista na Coordenadoria de Relações Internacionais.

Estão abertas as inscrições para o processo de seleção de cinco consultores no âmbito do Programa de Soluções Inovadores da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e um celetista na Coordenadoria de Relações Internacionais e Captação. São seis oportunidades, uma para a contratação de um assistente de Relações Internacionais e captação, duas para tradutores, uma consultoria para a elaboração de um website trilíngue (PT, ENG, ESP) e duas para profissionais executarem estratégias relacionadas ao projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas, Brasil”, executado em parceria com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas. Confira, a seguir, os editais de cada uma das oportunidades:

Consultoria especializada em desenvolver estratégias de captação de recursos para apoiar o projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas, Brasil”.

Consultoria para apoiar as atividades técnicas de implementação do projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas”.

Serviço de tradução, do português para o espanhol, de documentos e outros materiais de divulgação, para atender a necessidade do projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas, Brasil”.

Serviço de tradução, do português para o inglês, de documentos e outros materiais de divulgação, para atender a necessidade do projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas, Brasil”.

Consultoria para elaboração de website trilíngue (Português, Inglês e Espanhol) do projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas, Brasil”.

Contratação de um assistente de Relações Internacionais e captação para a Coordenadoria de Relações Internacionais e Captação.

Programa Dicara irá beneficiar 800 crianças e adolescentes ribeirinhos de Itapiranga

 Novo projeto terá um aumento no orçamento de 500 mil (2017-2019) para 1,5 milhão (2020-2022)

Mais de 800 crianças e adolescentes ribeirinhos da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã e da periferia do município de Itapiranga serão beneficiadas com a renovação da cooperação técnica entre a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e a prefeitura de Itapiranga (339 quilômetros de Manaus) realizada nesta terça-feira (11) na sede da FAS, em Manaus. 

Desde 2014, o Programa de Desenvolvimento Integral de Crianças e Adolescentes Ribeirinhas da Amazônia (Dicara) é desenvolvido nas zonas rurais e periféricas de Itapiranga com o objetivo de fortalecer a autonomia e a autoestima da população de 0 a 17 anos de idade residente em Unidades de Conservação (UC) do Amazonas. As ações e atividades do programa estruturadas em três eixos: educação, saúde e cidadania buscam direcionar as crianças e adolescentes ribeirinhos para o enfrentamento de desafios vivenciados nas comunidades como evasão escolar, falta de oportunidades, exclusão digital, violência doméstica, exploração sexual e drogas.

A exclusão digital era uma realidade enfrentada pelo estudante de administração, Geisiel Souza. “Antes do projeto chegar na comunidade não havia como ter aulas de informática. Ainda que eu quisesse, me faltava o dinheiro para pagar. E essa não era uma dificuldade enfrentada só por mim, mas também por meus colegas. Só consegui fazer o curso porque o Dicara trouxe aulas de informática para toda a comunidade. Essa foi a realização de um dos meus sonhos”.

Segundo a prefeita de Itapiranga, Denise Lima, a parceria com a FAS deve servir como exemplo para outras instituições trabalharem unidas em prol de oportunidades para crianças e jovens ribeirinhas.

“Todas as melhorias vistas no município de Itapiranga só puderam ser realizadas porque há parcerias com instituições como FAS que tem um programa que desenvolve nossas crianças e as encaminha para que elas se tornem líderes. Às vezes nós queremos realizar projetos e ações como essas, mas somente com o orçamento do município não é possível. Estou muito otimista com a renovação dessa parceria pois acredito nas mudanças positivas que ela trará para a população de Itapiranga”.

Para o gerente do Programa de Educação e Saúde (PES) da FAS, Anderson Matos, a assinatura deste termo demonstra que é possível a união entre a sociedade civil organizada, o poder público e a iniciativa privada para a garantia de direitos básicos. “Hoje é um dia muito especial para nós, pois assegurar às nossas crianças e adolescentes ribeirinhas o acesso à seus direitos básicos, contribuindo para o seu desenvolvimento integral é o maior de nossos objetivos. Falamos de sonhos, de oportunidade, mas falamos também de transformação. Já temos projetos similares em outros sete municípios e o nosso desejo é que o município de Itapiranga possa inspirar muitos outros”, disse Anderson.

Hoje com braços em seis Unidades de Conservação e municípios do Amazonas, o Dicara entra numa nova fase em Itapiranga e na RDS Uatumã, elevando de 600 para 800 crianças e adolescentes beneficiados em 21 comunidades e abrangendo mais dois bairros periféricos. Além disso, o número de famílias atendidas pelo programa também deve crescer de 200 para 300 famílias tendo em vista o aumento no orçamento do projeto de 500 mil (2017-2019) para 1,5 milhão (2020-2022).

SOBRE A FAS

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira sem fins lucrativos e sem vínculos político-partidários que tem por missão fazer a floresta valer mais em pé do que derrubada, promovendo ações de desenvolvimento sustentável e de melhoria de qualidade de vida dos povos que vivem na floresta. Por meio de programas e projetos, a FAS impacta a vida de cerca de 40 mil pessoas em 16 Unidades de Conservação do Estado, em cooperação com a Sema e apoio do Fundo Amazônia/BNDES, Samsung, Bradesco e Coca-Cola Brasil.

SOBRE O PROGRAMA DICARA

O Programa de Desenvolvimento Integral de Crianças e Adolescentes Ribeirinhas na Amazônia (Dicara), que apoia o evento, desenvolve ações voltadas à garantia dos direitos de crianças e adolescentes de Unidades de Conservação (UC) no Amazonas. O público do Programa são as comunidades ribeirinhas, já que nestas localidades existem aspectos que levam as crianças e adolescentes a fatores de risco e vulnerabilidade social.

O Dicara foi criado como estratégia para preencher essas lacunas da juventude ribeirinha, promovendo cidadania e proporcionando acesso à informática, música, esporte e lazer por meio de cursos, além de orientações básicas de cidadania e atendimentos de saúde. As atividades do programa atendem gratuitamente jovens entre sete e 17 anos, numa parceria com os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e é viabilizado com Ticket, REPOM, Edenred, BIC, Unilever, EMS, Legrand, Banco Yamaha, Germed, CONIPA, Siemens e Bradesco

Feira da FAS retorna em 2020 com primeira edição especial de Carnaval

O evento ocorre domingo 16 fevereiro, das 8h às 19h, na sede da FAS, rua Álvaro Braga, 351, Parque 10. A entrada é entrada gratuita e os animais de estimação são bem-vindos

Em clima de Carnaval, a primeira Feira da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) de 2020 promete movimentar a agenda cultural da cidade com shows, atividades variadas e diversão para todas as idades. O evento, que está em sua 19ª edição, ocorre domingo 16 fevereiro, das 8h às 19h, na sede da FAS, rua Álvaro Braga, 351, Parque 10. A entrada é entrada gratuita e os animais de estimação são bem-vindos.

Aproximadamente 100 empreendedores participarão do evento comercializando produtos como artigos de decoração, papelaria artesanal, bijuterias e acessórios, vestuário, plantas, produtos de jardinagem, entre outros. Atividades ligadas à saúde e bem-estar, como yoga, meditação e sessões de massoterapia chinesa também farão parte da programação, além da sustentabilidade na prática com a coleta e destinação correta dos resíduos gerados e a venda de verduras, frutas e legumes com produtores familiares locais.

Quem comparecer à feira também poderá participar de uma campanha de arrecadação do Amazon Eco Pets, um projeto social sem fins lucrativos que realiza a coleta e venda de tampas plásticas para ajudar animais abandonados, doando o valor a entidades de proteção.

Gastronomia e shows

A gastronomia também é um dos pontos altos da Feira da FAS, garantindo opções variadas para o café da manhã, lanche e almoço. Os visitantes poderão se deliciar com farofas, tacacá, crepes, brigadeiros, brownie, quitutes colombianos, culinária mineira, entre outros pratos.

Já a programação cultural inicia às 12h com a cantora Adriana Melo apresentando um mix de músicas voltadas ao público infantil. Em seguida, Junior Rodrigues agita o evento com o melhor do samba, em versão de voz e violão. Às 16h, o cantor Andrey San Silver interpreta releituras de clássicos do pop rock nacional e internacional, e, às 17h, o professor Thiago Andrade comanda o tradicional aulão de ritmos da feira.

‘Grito de Carnaval’

O “grito de Carnaval” vem com uma das bandas mais conhecidas da cena carnavalesca manauara, a Pororoca Atômica. Inspirada no poderoso fenômeno natural produzido pelo encontro das correntes fluviais com as águas oceânicas, a atração promete um show animado para ninguém ficar parado, fazendo jus ao nome.

No setlist, os músicos conciliam suas preferências com a reinterpretação de músicas populares aliadas a um novo arranjo musical, transitando em gêneros como reggae, soul, carimbó, cúmbia, guitarrada, lambada, baião, brega, pop tropical, marchinha, frevo, dentre outros.

FAS abre vaga de consultoria para design e diagramação de materiais de comunicação

 A oportunidade faz parte do projeto Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) está selecionando um profissional em consultoria especializada para atuar na criação de identidade visual e gráfica e design editorial do projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas”. O período de vigência é de cinco meses a partir da data da assinatura do contrato.

O projeto “Regulamentação e Implementação da Lei Estadual de Serviços Ambientais do Amazonas” tem por objetivo aprovar o Sistema Estadual de REDD+; contribuir para as Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) do Brasil; promover a redução de emissão de carbono; e ainda melhorar o incremento da renda de populações do Estado do Amazonas.

Os interessados devem encaminhar proposta de orçamento e portfólio de produtos e projetos para o correio eletrônico rh@fas-amazonas.org, com cópia para gabriela.sampaio@fas-amazonas.org, até 3 de fevereiro de 2020. No título da mensagem de e-mail deve constar “Seleção: Consultoria comunicação – projeto LSA”. Apenas os candidatos selecionados serão contatados. Confira o edital completo aqui.

FAS e Cetam abrem 50 vagas para curso técnico em Gestão do Desenvolvimento Sustentável

A capacitação é destinada a moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, especificamente dos setores Liberdade e Ingá

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), em parceria com a Petrobras, abriram um processo seletivo com 50 vagas para um curso técnico em Gestão do Desenvolvimento Sustentável, feito especialmente para a realidade de comunidades ribeirinhas no Amazonas. A capacitação é destinada a moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, especificamente dos setores Liberdade e Ingá.

Para participar é necessário ter o Ensino Médio completo e efetuar inscrição presencialmente no dia 8 de fevereiro, entre 8h e 17h, no Núcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) Professor Márcio Ayres, na comunidade Punã, no município de Uarini, a cerca de 565 quilômetros da capital, portando os documentos originais de RG e CPF.

Os candidatos aprovados e classificados no processo seletivo terão a matrícula efetivada. O curso terá a duração de um ano, com carga horária de 1200 horas, totalizando 26 disciplinas agrupadas em quatro módulos. Os estudantes terão aulas entre 10 a 15 dias consecutivas, com pausas de tempo entre 15 a 20 dias.

O curso técnico em Gestão do Desenvolvimento Sustentável conta também com o apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e da Associação de Moradores da RDS Mamirauá.

Populações apoiadas pela FAS têm renda média familiar mensal maior em comparação a não-beneficiários

Resultados preliminares de pesquisa demonstram melhoria na qualidade de vida de quem vive em Unidades de Conservação e que recebe ações de educação e geração de renda promovidas pela Fundação Amazonas Sustentável

A vida de populações ribeirinhas e indígenas que vivem em Unidades de Conservação (UC) do Amazonas geridas pelo Governo do Estado, e que são apoiadas com ações de educação e geração de renda desenvolvidas pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), vem melhorando consideravelmente nos últimos anos. Levantamento feito pela Action Pesquisas de Mercado demonstrou uma diferença de 23,5% na renda média familiar mensal das pessoas que são beneficiárias de ações da FAS em comparação a quem não é atendido por tais projetos e programas nas mesmas áreas geográficas.

Os resultados, preliminares e captados com populações da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, da RDS Puranga Conquista e da Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, territórios que abrangem uma área de 790.923 hectares de terra, apontam para a percepção de que a vida das pessoas beneficiadas pelas ações da FAS nessas localidades melhorou bastante após a implementação de programas e projetos de educação e de geração de renda, por exemplo. Ao todo, são 1.154 famílias em 42 comunidades nessas regiões atendidas pelo Programa Floresta em Pé, o antigo Bolsa Floresta.

A pesquisa foi dividida em duas etapas. A primeira foi a fase de entrevistas qualitativas com 31 lideranças e 16 gestores de Unidades de Conservação que participavam do XXIII Encontro de Lideranças, um evento realizado em Manaus com presidentes de associações e lideranças diversas regiões do Estado, e a segunda etapa foi a fase de pesquisas quantitativas realizadas em sete UCs, abrangendo 151 comunidades, com amostragem de 1.060 questionários aplicados com beneficiários e não beneficiários.

Além disso, as pesquisas qualitativas não se limitaram às lideranças ribeirinhas e indígenas, contemplaram também os gestores das Unidades de Conservação, ou seja, servidores do Estado residentes nessas áreas e ligados Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação (DEMUC), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), que é a secretaria responsável pela gestão dessas áreas protegidas.

“As lideranças das associações são representantes legítimos dos moradores das Unidades de Conservação e o ponto focal da FAS para a articulação dessas iniciativas, acompanhamento de programas e de projetos. Conhecer a opinião desses líderes é importante para avaliar a efetividade das ações de estímulo ao empoderamento social e também para direcionar novas abordagens”, explicou a gerente do Programa de Gestão e Transparência da FAS, Michelle Costa.

Desde 2011 são feitas pesquisas independentes para mensurar a opinião e a satisfação dos beneficiários dos programas e projetos da FAS nos territórios do Estado. Em 2015 também foi feita pesquisa, com o mesmo objetivo de entender o impacto das intervenções das políticas públicas, como o Programa Floresta em Pé, na vida das pessoas. Tais pesquisas seguem abrangência geográfica, abordagem metodológica e parâmetros estatísticos que asseguram comparabilidade entre si, aspecto fundamental para compreender a evolução da satisfação dos beneficiários quanto à implementação dos programas, da imagem institucional da FAS e dos efeitos das intervenções sobre a conservação ambiental, melhoria da qualidade de vida e desenvolvimento sustentável.

Novas pesquisas devem ser desenvolvidas no intervalo de cada quatro anos, com a perspectiva de ampliação para outras Unidades de Conservação, incluindo áreas contrafactuais, ou seja, aquelas onde não há atuação da FAS. “É fundamental fazer esse levantamento, conhecer a opinião das pessoas atendidas pelos programas da FAS nas comunidades e também aquelas não atendidas. Entender a satisfação delas, as expectativas e as necessidades e, dessa maneira, traçar metas de melhorias e reforçar aquilo que está dando certo”, explica Flávia Sausmikat Soares, diretora de Operações da Action Pesquisas de Mercado.

Floresta em Pé

O Programa Floresta em Pé é uma política pública de pagamento por serviços ambientais pertencente ao Estado do Amazonas, é aplicada pela FAS há mais de 11 anos em 16 Unidades de Conservação, beneficiando 581 comunidades ribeirinhas e indígenas. Por meio do programa as populações recebem ações de incentivo à gestão sustentável de recursos naturais, de geração de renda e empoderamento comunitário. Pela FAS, o Floresta em Pé é implementado com recursos do Fundo Amazônia/BNDES, Bradesco e Coca-Cola Brasil, além da cooperação estratégica com o Governo do Estado, via Sema.

Sobre a FAS

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira sem fins lucrativos e sem vínculos político-partidários que tem por missão fazer a floresta valer mais em pé do que derrubada, promovendo ações de desenvolvimento sustentável e de melhoria de qualidade de vida dos povos que vivem na floresta. Por meio de programas e projetos, a FAS impacta a vida de cerca de 40 mil pessoas em 16 Unidades de Conservação do Estado, em cooperação com a Sema e apoio do Fundo Amazônia/BNDES, Samsung, Bradesco e Coca-Cola.