Apoio contínuo às associações : FAS Amazonas

A Avaliação do Desempenho das Associações permite classificar o nível de empoderamento dessas organizações, assim como entender claramente os desafios enfrentados por cada gestão. Os critérios adotados para a avaliação foram amplamente discutidos e validados com as lideranças comunitárias ao longo das 21 edições já realizadas de Encontros de Lideranças.

Considerando critérios como a entrega de prestações de contas sem ressalvas, participação da diretoria em conselhos e assembleias, ausência de pendências, entre outros, a avaliação individual das Associações permite estabelecer estratégias para o direcionamento de investimentos, além de possibilitar o desenho de planos de ação que apoiem a superação de desafios importantes da gestão destes grupos.

A avaliação complementa os ciclos de capacitações continuadas em prestação de
contas, gestão por indicadores e elaboração de projetos, realizados em cada Encontro de Lideranças. Estas capacitações, por sua vez, são complementadas por treinamentos de aperfeiçoamento em ferramentas computacionais e técnicas de redação oficial.

Critérios de avaliação de desempenho das associações

 

Com base nos resultados, as diretorias de associações são estimuladas por meio de premiações e penalidades, que são refletidas no valor de referência das ações de empoderamento da FAS. As sanções variam de 10% a 20%, com base em um acordo participativo firmado com as lideranças participantes.

Desde 2016, quando o indicador de desempenho das Associações passou a ser
acompanhado, houve uma melhora sensível nos resultados analisados, um aumento percentual médio de 81% no desempenho geral. A RDS do Rio Negro, apesar de uma melhora de 50% no seu desempenho em relação à 2017, ainda apresenta baixo desempenho (-5%).

Dentre todos os desafios mapeados, cumpre registrar que dois deles são muito relevantes. Um diz respeito à insuficiente equipe de apoio às diretorias e o outro está relacionado à necessidade de estabelecer canais eficientes de mobilização, comunicação e ações de transparência (divulgação) entre diretores e associados.

Os diretores de Associações trabalham de maneira voluntária e muitas vezes abdicam de suas atividades econômicas em favor das atividades da Associação e, mesmo assim, não conseguem dedicar suficiente tempo para aspectos de gestão de documentos e acompanhamento de resultados, menos ainda para elaboração de relatórios. Aquelas associações que possuem pelo menos uma
pessoa de apoio administrativo se destacam na avaliação de desempenho e mostram um nível de maturidade interessante, que não se perde com as trocas de diretorias decorrentes de processos eleitorais. A constatação leva a um processo de aprendizagem que implica em ações de assessoria direcionada e estímulo à estruturação das diretorias.