Primeira Infância Ribeirinha : FAS Amazonas

A fase da vida de 0 a 6 anos, chamada de primeira infância, é de extrema importância para a formação das estruturas física e psíquica de um ser humano. Mais de 70% do cérebro de um adulto comum é desenvolvido nessa época e aspectos como cognição e sociabilidade são todos estruturados nesse estágio. Da gestação até o crescimento, a alimentação, as primeiras palavras, os primeiros passos, novos aprendizados, são vivências essenciais e de consequências à vida toda.

Também é nessa fase que as crianças estão mais suscetíveis a vulnerabilidade como limitações, violências e estresses. A falta de um cuidado adequado à saúde e à educação dos pequenos nesse tempo de vida são irreversíveis.
Se esse zelo é essencial a crianças que vivem num contexto urbano, para aquelas moradoras do interior do Amazonas, como em comunidades ribeirinhas, é ainda mais urgente. Desafios como distância geográfica e escassez de serviços básicos demandam uma abordagem diferenciada com as crianças ribeirinhas.

Pensando nisso, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) vêm promovendo desde 2012 o Programa Primeira Infância Ribeirinha (PIR), com objetivo de levar assistência integral a crianças amazonenses na faixa etária de 0 a 6 anos de idade residentes de comunidades situadas em Unidades de Conservação. Hoje, a iniciativa atinge mais de 12.731 mil crianças de 1.129 famílias, sendo esse um dado parcial de 2019, nos perímetros dos municípios de Coari, Maraã, Novo Aripuanã, Itapiranga, Tefé, Uarini.

Dentro do programa, agentes comunitários de saúde que prestam atendimento em saúde e educação a esse público são capacitados para fazer um acompanhamento integral de gestantes e crianças de 0 a 6 anos, tendo como apoio uma metodologia própria inspirada em políticas do Ministério da Saúde relacionadas à primeira infância, o Guia de visitação domiciliar, composto por 93 visitas desde a suspeita de gravidez até a criança atingir 6 anos de idade. Até o momento já foram formados 309 ACS na metodologia de primeira infância.
Além disso, o Guia de visitação domiciliar apresenta-se em nova versão através de aplicativo mobile, desenvolvido pela Samsung Seda e pelo Instituto de Tecnologia do Norte (ITN), que reúne, num só lugar, todo o conteúdo necessário ao atendimento à primeira infância com metodologias adequadas a serem utilizadas pelos ACSs em visitas domiciliares.

No segundo semestre de 2019, o PIR teve o reconhecimento pela Fundação Banco do Brasil (FBB) como uma tecnologia social transformadora. O projeto ganhou um selo de certifcação e também foi selecionado como um dos três finalistas na categoria Primeira Infância, concorrendo com outras duas iniciativas desenvolvidas no país com foco na população de 0 a 6 anos, o Programa Municipal de Aleitamento Materno PRÓ-MAMÁ, da Prefeitura Municipal de Osório, no Rio Grande do Sul, e o Visitação Domiciliar na Primeira Infância, da Secretaria da Saúde de Porto Alegre, também no Rio Grande do Sul.