REDD+ : FAS Amazonas

O REDD+ (Redução do Desmatamento e Degradação Florestal, mais manejo florestal sustentável), é um mecanismo financeiro que permite a captação de recursos para a melhoria da qualidade de vida das comunidades locais e para promoção do desenvolvimento sustentável. Desde 2008 a FAS desenvolve o Projeto de REDD+ na RDS do Juma, primeiro do mundo a ser “nível ouro” no Padrão Clima, Comunidade e Biodiversidade. O projeto tem por objetivo captar recursos para investir e incentivar estratégias e ações para deter o desmatamento no estado do Amazonas. Até 2016, segundo dados oficiais do Inpe e em se comparando com as modelagens de linha de base, o projeto já reduziu cerca de 17,3 milhões de tCO2e*.

O projeto rendeu o primeiro certificado de redução de emissões de carbono entre um governo, uma empresa e uma organização não-governamental, entregue agosto de 2016 em solenidade ao Marriott International. O certificado é intransferível e atesta a redução de 400 mil toneladas de dióxido de carbono (tCO2), relacionadas a atividades até 2013.

Em 2018, em comemoração ao Dia da Amazônia, o Renaissance São Paulo Hotel e o Marriott Executive Apartments São Paulo promoveram um encontro para a entrega de doação ao projeto da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Juma, no Amazonas. Desde 2009, a Marriott International, em parceria com a FAS, realiza ações para implementação de projetos de geração de renda, apoio às associações de moradores locais e melhora da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas.

Em outubro, a Fundação promoveu o curso “Oportunidades para Amazônia no contexto de pagamentos por serviços ambientais”, realizado na comunidade ribeirinha Tumbira, na RDS Rio Negro. O curso foi realizado em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), sendo realizado comunidade ribeirinha Tumbira, na RDS Rio Negro e contou com a participação do cientista Nobel da Paz, Philip Fearnside. Dentre a pauta, a situação atual das políticas de desenvolvimento sustentável no Estado, e perspectivas a partir da criação de marcos legais que possibilitem o REDD+ no Brasil.