27/07/2020
Notícias

Mais de 25 mil pessoas serão beneficiadas com projeto que inicia esta semana de enfrentamento ao coronavírus

Parceria entre Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e Embaixada da França apoiará populações vulneráveis na capital e Região Metropolitana

O Amazonas acaba de ganhar um importante reforço no enfrentamento ao novo coronavírus. Mais de 25 mil pessoas serão beneficiadas com distribuição de alimentos e kits de higiene, acesso a serviços básicos de saúde, apoio ao empreendedorismo e ações estruturantes para o período pós-pandemia, viabilizadas através de uma parceria entre a Embaixada da França e a Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento à COVID-19, coordenada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) com apoio de 88 parceiros, incluindo as Secretarias de Estado do Meio Ambiente e da Saúde do Amazonas.

O projeto é voltado para populações em situação de vulnerabilidade na capital e Região Metropolitana. A primeira frente de atuação consiste em ações de apoio emergencial, com a distribuição de 9.906 cestas básicas e 21.480 kits de higiene. Segundo a coordenadora do programa de Cidades Sustentáveis da FAS, Paula Gabriel, a previsão para o início das entregas é a partir dessa segunda-feira, dia 27. “Já estamos trabalhando no mapeamento das famílias que serão beneficiadas, realizando a aquisição dos itens e o planejamento para a execução do projeto”, afirma.

Na zona urbana, as doações serão destinadas para famílias de 13 bairros: Coroado, Comunidade Sharp (Armando Mendes), Jorge Teixeira, Monte das Oliveiras, Monte Ararate (Nova Cidade), Mutirão, Novo Aleixo, São Jorge, Parque das Garças, Parque das Tribos (Tarumã), Redenção, São Geraldo e São José – além das iniciativas sociais Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Banho do Bem, Hermanitos e Vidas Indígenas Importam.

Para combater os impactos socioeconômicos da pandemia e gerar renda nas periferias da capital, também serão apoiados oito grupos de costureiras, composto por mulheres periféricas, indígenas, imigrantes e refugiadas. As empreendedoras produzirão 8,5 mil máscaras artesanais, que serão doadas para instituições e projetos sociais.

Na Região Metropolitana, as ações alcançarão mais de 1,5 mil famílias ribeirinhas e indígenas residentes em comunidades localizadas na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, RDS Puranga Conquista,  RDS Uatumã e RDS do Piranha.

Além de cestas básicas e produtos de higiene, o projeto oferecerá auxílio para o diagnóstico e atenção básica de saúde nessas localidades, com formação de agentes comunitários de saúde, instalação de polos de telessaúde com internet via satélite e energia solar, apoio para o transporte de pacientes graves, aquisição de ambulanchas, doação de Equipamento de Proteção Individual (EPI), produção de materiais de comunicação, teleatendimento psicológico, entre outras iniciativas. Também será oferecido apoio para produção de farinha, como fonte de geração de renda.

Ações estruturantes

A parceria entre a FAS e a Embaixada da França ainda viabilizará a instalação de infraestrutura comunitária em três localidades da capital. Uma delas é o Parque das Tribos, no Tarumã, onde está prevista a estruturação de espaços coletivos para educação, cultura e saúde, que serão definidos em parceria com as lideranças locais. O projeto também tem apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema).

O segundo bairro é o Monte das Oliveiras, que será beneficiado com a construção do “Galpão do Bem”, um espaço multiuso para educação e geração de renda. O último é a Redenção, onde está localizada a sede do Programa de Restauração Ecológica e Urbanização Sustentável na Amazônia (Reusa) da FAS, que receberá melhorias em sua estrutura.

“Esses espaços serão pensados e executados de forma colaborativa com os moradores, para atender as demandas de cada localidade. São bairros onde a FAS já vem atuando há alguns anos, através de projetos de mobilização social e sustentabilidade urbana, buscando a melhoria da qualidade de vida da população”, explica Paula Gabriel.

Sobre a Aliança

A “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”, coordenada pela FAS, tem o apoio de 88 parceiros, entre instituições públicas e privadas, empresas e prefeituras. Os recursos arrecadados pela articulação são utilizados para atender as particularidades de cada região do Amazonas no combate à Covid-19. As doações para a Aliança podem ser feitas através do site fas-amazonas.org ou do e-mail contato@fas-amazonas.org.