09/07/2020
Notícias

RDS do Uatumã recebe ação solidária contra o coronavírus beneficiando mais de 415 famílias

Mais de 415 famílias que moram em 20 comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã (distante 330 km de Manaus e localizada entre os municípios de São Sebastião do Uatumã e Itapiranga, no interior do Amazonas) foram beneficiadas com uma ação solidária, realizada de 22 a 29 de junho, para combater os impactos causados pela pandemia da Covid-19.

 A missão foi realizada pela Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento à Covid-19, coordenada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Também recebeu apoio do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (Funati) e Associação Agroextrativista dos Comunitários da RDS Uatumã, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Secretarias de Estado do Meio Ambiente e da Saúde do Amazonas, Prefeitura Municipal de Itapiranga, Marriot, Swarovski, por meio do projeto Escolas D’ Água, OAK Foundation e Instituto Arapyaú.

Ao todo, foram doadas 500 cestas básicas para que as pessoas não precisem sair da RDS para comprar alimentos; 500 cartazes informativos sobre a doença e kits de material de limpeza, combustível para ajudar no transporte de pacientes e produtos da Procter & Gamble (P&G).

Além disso, o Universo Americanas doou máscaras, álcool em gel e oxímetros para reduzir o contágio do novo coronavírus. O Universo Americanas (composto por Americanas, B2W Digital, IF – Inovação e Futuro, Ame e LET´S) criou um programa de auxílio às populações indígenas e ribeirinhas da Amazônia durante a pandemia. Nessa frente, a companhia já doou 300 mil máscaras, 1.000 oxímetros e 21,5 mil unidades de álcool em gel (500 ml) para a FAS com o objetivo de ajudar na higienização e combate ao avanço da Covid-19 na região.

 Para os profissionais da saúde que atuam na região, a missão garantiu a entrega de oxímetros, termômetros, aparelho de pressão e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Também teve teleatendimentos de saúde e psicológico, através do sistema de Telessaúde da UEA, e a distribuição de material informativo com recomendações médicas.“Os grandes avanços que estamos tendo na atenção básica de saúde nessas regiões remotas só aconteceram em virtude do sistema de telessaúde, com a capacitação dos agentes comunitários e indígenas. É uma estratégia extremamente promissora desenvolvida no âmbito da Aliança”, afirma o superintendente geral da FAS, Virgilio Viana.

“Na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, duas comunidades tiveram alguns casos confirmados de coronavírus. O fato de chegarmos lá, nessas comunidades, com esses materiais e doações, foi muito importante para os moradores. A comunidade agradeceu bastante a ação”, disse a Agente de Desenvolvimento Sustentável da FAS, Lizandra Sá.

“O momento da pandemia, apesar de uma aparente melhoria na capital, em Manaus, tem se agravado no interior do Amazonas. Assim, nossa ação em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e apoio financeiro da Fundação Banco do Brasil é importante para proporcionar um pouco de alívio aos moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã”, enfatizou o gerente de Manejo e Tecnologias Florestais do Idesam, André Vianna.

A presidente da Associação Agroextrativista dos Comunitários da RDS Uatumã, Diana Prado, informou que a pandemia do coronavírus paralisou as principais atividades econômicas das comunidades, onde vivem mais 1,6 mil pessoas. “Tivemos que parar tudo, a agricultura, as atividades de pesca esportiva, o turismo e até uma usina de extração de óleo. Isso prejudicou muitas pessoas e não temos previsão de quando poderemos retornar com essas atividades. Ficamos dependentes de auxílio e doações, pois não podemos sair daqui para evitar o contágio. Então, estamos muito agradecidos com essas doações que recebemos da FAS (Fundação Amazonas Sustentável) e dos seus parceiros”, declarou.

Os principais objetivos dessas missões coordenadas pela FAS são reduzir o risco e a velocidade de contágio do coronavírus; diminuir a necessidade de deslocamento às cidades, fazendo o diagnóstico através da telemedicina; apoiar no deslocamento dos pacientes com suspeita da doença; instituir protocolos para medidas de segurança e saúde; garantir apoio para atendimento psicológico; e iniciar a preparação pós-calamidade com apoio ao empreendedorismo local.

Sobre a Aliança

A “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus” foi criada e é coordenada pela pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) com o envolvimento de 81 instituições públicas e da sociedade civil para ações de prevenção ao coronavírus. Busca disseminar e estimular a adoção de boas práticas para reduzir os riscos de contágio, levar os serviços e as informações em saúde via telessaúde e o transporte de pacientes graves.