SDSN Amazônia e iAMA anunciam ganhadores de financiamento para projetos de enfrentamento à Covid-19 : FAS Amazonas
18/08/2020
Notícias | SDSN

SDSN Amazônia e iAMA anunciam ganhadores de financiamento para projetos de enfrentamento à Covid-19

Dois projetos do Equador foram selecionados para receber financiamento de até US$ 5 mil para ajudar a minimizar os impactos da pandemia na Pan-Amazônia


Os projetos de enfrentamento ao novo coronavírus “Comunicação e Rede de Alerta da Covid-19 da Amazônia”, da Universidade San Francisco de Quito (USFQ), e “Segurança Alimentar Indígena Achuar no Contexto da Pandemia do Coronavírus”, da Fundação Pachamama, foram selecionados pela Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN Amazônia) e Instituto Amigos da Amazônia (iAMA) para receberem financiamento de até US$ 5 mil, como forma de contribuir para minimizar os impactos da pandemia na região. 

O apoio financeiro é resultado de um edital lançado em junho de 2020, voltado para instituições filiadas à rede SDSN Amazônia, que é secretariada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Ao todo, 21 projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) participaram da chamada, sendo 10 do Brasil, oito do Equador e três do Peru.

“Estamos muito felizes com o resultado da chamada. Os dois projetos selecionados receberão recursos para sua execução e poderão colaborar com o enfrentamento ao novo coronavírus na Pan-Amazônia”, destaca a secretária executiva da SDSN Amazônia, Carolina Ramírez Méndez.

Com mais de 880 mil casos confirmados e 23 mil mortes registradas, segundo dados da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), a Covid-19 segue avançando pela região, afetando principalmente populações indígenas e tradicionais, particularmente vulneráveis devido ao seu isolamento e acesso limitado a cuidados médicos. Além disso, a prevenção e a coleta de dados não estão ocorrendo na velocidade necessária para reduzir o índice de contaminação.

Comunicação indígena

O projeto “Comunicação e Rede de Alerta da Covid-19 da Amazônia” tem o objetivo de responder à necessidade de comunicação na Amazônia equatoriana, através do treinamento de membros de comunidades indígenas para a implementação de um sistema de alerta de rádio de ondas curtas e hubs de internet alimentados por energia solar, permitindo a troca de informações entre as comunidades e atores, como o Ministério da Saúde e organizações internacionais. 

Segundo os pesquisadores responsáveis, essa comunicação fornecerá as ferramentas necessárias para as comunidades tomarem decisões e respostas autônomas. “Por meio deste projeto, pretendemos promover o acesso das comunidades indígenas à representação da governança e ao controle social dentro das comunidades, visando reduzir as desigualdades e promover sociedades justas, pacíficas e inclusivas”, afirma a proposta submetida pela USFQ. 

A iniciativa também facilitará a documentação de dados relevantes para compreensão das respostas indígenas à pandemia. Os beneficiários serão as comunidades nos territórios Achuar, Shuar e Quijos com limitada conectividade e representação de governança. 

Segurança alimentar

Já o projeto “Segurança Alimentar Indígena Achuar no Contexto da Pandemia do Coronavírus”, também do Equador, é focado nos impactos da pandemia nos meios de subsistências locais dentro do território indígena Achuar. Esta região de aproximadamente 100 mil hectares é um dos ecossistemas mais biodiversos do planeta, representando mais de 10% da biodiversidade mundial. 

O objetivo do projeto liderado pela Fundação Pachamama é abordar a segurança alimentar por meio de treinamento em alimentação agroecológica e produção de plantas medicinais, cultivo agroecológico de espécies nativas para comercialização, aquicultura de espécies nativas e promoção de sistemas de troca dentro do território.

“Estabelecer uma rede de comunidades locais colaborativas para reinstalar e reforçar uma troca dividida, além de sistemas de intercâmbio com abordagens inovadoras que promovam resiliência econômica”, complementa a Fundação Pachamama na proposta enviada.

Os beneficiários diretos serão 11 comunidades indígenas Achuar, com uma população de aproximadamente 1,3 mil habitantes, além da Organização da Nação Indígena Achuar (NAE), que representa mais de 90 comunidades no Equador.

Sobre o edital

O edital promovido pela SDSN Amazônia, em parceria com o iAMA e FAS, teve como principal objetivo apoiar projetos de ação imediata, com resultados disponíveis e acessíveis no curto prazo, visando contribuir para a contenção e mitigação da pandemia da Covid-19. 

As propostas apresentadas se enquadraram nas categorias: saúde, acesso à alimentos, educação, acesso à água potável e saneamento, trabalho decente e crescimento econômico, consumo e produção sustentável, conservação da floresta e biodiversidade amazônica, comunicação e governança.

A avaliação e classificação dos projetos foram realizadas pelo Comitê de Seleção, designado pelo iAMA, que analisou a clareza das informações e a coerência das atividades, o orçamento e o cronograma apresentados nos projetos, o número de famílias beneficiadas pelos projetos, o potencial impacto dos projetos no enfrentamento da Covid-19, o potencial de replicabilidade, entre outros critérios.

Sobre a SDSN Amazônia

A SDSN Amazônia é uma rede que visa integrar os países da Bacia Amazônica, mobilizando universidades, organizações não governamentais, centros de pesquisa, instituições governamentais e privadas, organizações multilaterais e sociedade civil para promover a resolução prática de problemas para o desenvolvimento sustentável da região. A iniciativa faz parte da Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável da ONU (SDSN Global) e a secretaría executiva é realizada pela FAS.